Como utilizar o remarketing para aumentar as vendas

19 abr
2017
remarketing

Com certeza você já foi pego de surpresa por banners de anúncios de produtos em algum site. Mas você já reparou que essas propagandas mostram sempre assuntos de seu interesse? Seja aquele sapato, pacote de viagem ou smartphone, a probabilidade de você se deparar com um produto pesquisado anteriormente enquanto navega na web é realmente enorme.

Apesar de muitos passarem por isso no dia a dia, poucos sabem que, na verdade, essa é uma poderosa estratégia de marketing digital. Batizado como remarketing, ou retargeting, essa ferramenta possibilita que as taxas de conversão de uma empresa aumentem de forma considerável. Na realidade, o remarketing vem trazendo resultados tão positivos que acabou se tornando um dos recursos mais importantes dentro das estratégias de marketing online, já que, com anúncios em links patrocinados, a técnica passou a ser incorporada e amplamente aceita pelos especialistas em vendas.

Mas afinal, o que é remarketing?

De modo geral, o remarketing é um recurso que auxilia as empresas a divulgar materiais publicitários para as pessoas certas. Com o objetivo de alcançar o mesmo cliente mais de uma vez, a estratégia funciona a partir dos interesses reais do público-alvo. Sendo assim, o remarketing é especialmente importante quando se pensa em marketing digital voltado para o comércio eletrônico.

Quando o remarketing é bem estruturado, uma empresa se torna capaz de atingir os visitantes de seu site que se encontram nas diferentes etapas do funil de vendas. De acordo com pesquisas feitas pelo Google, 97% das pessoas não fecham uma compra na primeira visita a uma página da web. Diante disso, é essencial ser capaz de monitorar esses clientes e acompanhá-los ao longo do processo de decisão de compra para que a marca se mantenha posicionada na mente do consumidor.

Conforme os estudos de publicidade e marketing revelam, entre o primeiro passo, que é o contato inicial do comprador em potencial, e o último, que é a fidelização com a empresa, há uma série de etapas que precisam ser cumpridas:

  • Consciência: o visitante começa a fazer a busca pelo produto ou serviço, mas ainda sem a intenção de realizar a compra propriamente dita;
  • Consideração: o cliente em potencial passa a avaliar as possibilidades e as ofertas disponíveis no mercado;
  • Compra: a escolha e o fechamento da compra em si;
  • Fidelização: após a compra há o desejo e/ou a possibilidade de realizar uma nova conversão.

Com isso em mente, você sabe de que forma o remarketing é capaz de atingir cada um desses visitantes do site de uma empresa?

 

Como funciona o remarketing

Sabendo que o remarketing é capaz de acompanhar e converter o público-alvo em clientes fiéis, agora se torna necessário compreender como essa poderosa ferramenta funciona na prática.

Basicamente, o remarketing funciona por meio de anúncios e, por isso, esse tipo de estratégia pode ser utilizada no Facebook, Google (Adwords) e em sites parceiros que aceitam a exibição de banners de terceiros.

No Facebook, o remarketing é feito a partir da seleção de audiência e a criação de anúncios, que podem ser exibidos no feed de notícias ou na barra lateral da página do usuário. Já no Google, o remarketing depende do uso de palavras-chave, localização e visitas a sites de determinado conteúdo. Com a ferramenta Adwords, o cliente em potencial é “perseguido” pelos anúncios de seu interesse durante sua navegação na web.

Se você está buscando no Google um tênis para corrida, por exemplo, e acessa um dos anúncios, um cookie é automaticamente armazenado em seu computador, permitindo que você receba, posteriormente, publicidades do mesmo site em páginas parceiras (sites que autorizam anúncios). O resultado disso, como já é de se imaginar, é a geração da conversão.

Tudo isso acontece graças a instalação de uma tag de remarketing no site da empresa. A partir disso, é necessário definir quais estratégias serão utilizadas e quais os públicos que se deseja atingir: pessoas que visitaram o site, que acessaram páginas relacionadas a produtos ou serviços semelhantes, que já realizaram compras anteriormente etc. Com a definição, a forma de remarketing deverá ser escolhida: se a estratégia será via Facebook, Google ou sites que aceitam banners de anúncios.

 

Como devem ser as campanhas de remarketing?

Para que uma campanha de remarketing seja eficaz, antes de tudo é preciso ter muito claro qual o público e as formas de anúncios que serão utilizadas pela empresa. Além disso, algumas outras dicas podem ser grandes propiciadoras de melhores resultados.

  • Audiência: o público que a empresa deseja atingir deve receber mensagens direcionadas e de seu interesse;
  • Anúncios específicos: as campanhas devem ser específicas para o usuário que tem interesse em fechar uma compra. Se, por exemplo, a pessoa tem feito pesquisas sobre a aquisição de um automóvel, direcionar ao consumidor em potencial anúncios que falam sobre o carro desejado é a melhor estratégia.
  • Direcionamento para o site: ao clicar em determinada campanha, o cliente deve ser direcionado automaticamente à página do produto. Isso faz aumentar as chances de conversão.
  • Atenção às métricas: apesar de complexas, as análises das métricas são sempre as melhores aliadas para conhecer os resultados da atuação do Marketing Digital. 
  • Excesso de anúncios: mesmo sendo uma ferramenta poderosa, as ferramentas de remarketing não devem ser utilizadas em excesso, já que o bombardeio da mesma exibição pode acabar gerando o efeito contrário para o usuário. 
  • Categorias: na hora de definir estratégias, é importante criar listas de remarketing específicas para cada categoria de produtos da empresa; para quem não chegou a completar o pedido no site e também para quem já efetuou compras.

Sabendo das estratégias e benefícios do remarkerting, incorporar essa ferramenta ao site da empresa pode auxiliar não só nas conversões, mas também no posicionamento da marca na mente do público-alvo. O marketing online vem revolucionando a forma com que as companhias lidam com seus clientes, e manter-se atualizado para seguir as tendências pode ser o grande diferencial da empresa frente aos seus concorrentes.

Juliano Franco Duarte
Autor

Juliano é fundador da Santa Agência, empresa focada em negócios digitais para empresas. Também é fundador do Meu Redator, startup que conta com mais de 3000 redatores, incluindo professores especialistas, mestres e doutores, criando conteúdo de qualidade para empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *