Se o conteúdo é rei, então você deve garantir o palácio!

17 jan
2018

Escaneabilidade: se você trabalha como redator, analista de SEO ou conteudista profissional, é provável que conheça esse conceito. Escanear um conteúdo não é só para conteúdos escritos. Alguns defendem a ideia de que o ser humano sempre foi, em essência, um escaneador de informações, mesmo nos primórdios da história.

O termo ‘escanear’ é conhecido por muitos pela prática comum de utilizar um scan, ou scanner, para converter informações materializadas em formato digital. Já na era digital, escanear uma informação significa obter uma visão geral dela antes de absorvê-la por completo. O conceito é tão forte que já foram realizados diversos estudos para comprovar suas bases.

A partir de agora, nosso post vai explicar como o conteúdo, descrito por muitos especialistas em marketing de conteúdo como “rei”, deve ser posicionado. Assim sendo, um conteúdo digno de ser consumido e compartilhado precisa ter seu “palácio”, que na prática pode ser traduzido como um formato digno.

Que formato é esse? Quais são os elementos que mais chamam a atenção de um leitor num texto classificado com um teor positivo em relação à escaneabilidade? Vamos responder essas duas perguntas para você agora mesmo.

Introdução, desenvolvimento e conclusão

Quando uma informação é disposta de forma ordeira, fica bem mais fácil digeri-la. Nosso cérebro tende a separar o que aprendemos em ‘pastas’ posicionadas em áreas específicas. Misture tudo ao comunicar e você terá um problema como interlocutor!

Sempre certifique-se de que seus textos possuam:

  • Uma introdução curta, incluindo, em poucas palavras, o assunto mais importante, que será desenvolvido ao longo do texto;
  • Um desenvolvimento coerente, somando passo a passo ideias novas e ainda mais interessantes, de forma a incentivar a leitura até o final;
  • Uma conclusão cativante, que mostre ao leitor que valeu a pena chegar até aquele ponto da leitura, estimulando-o a usar 2 ou 3 das ideias apresentadas.

Essa sequência ordeira de informações ajuda a destacar as partes mais relevantes do texto aos olhos seletivos do leitor que escaneiam o conteúdo em busca de novidades ou de profundidade. São essas partes que vão mostrar logo ao leitor que seu conteúdo não é raso, mas assertivo, instrutivo e prático!

O primeiro parágrafo

As linhas de trabalho dos mais renomados analistas de SEO possuem um conceito bem definido quanto à construção do primeiro parágrafo de um texto. Muitos deles defendem que, em grande parte, o que determina se o leitor continuará em sua plataforma de conteúdo ou não é o primeiro parágrafo.

Você duvida disso? Pare um pouco e pense: se estiver procurando um filme na Netflix para assistir, o que determina se você vai ou não assisti-lo? Já parou para analisar quantas palavras são usadas ali para resumir o conteúdo de filmes que duram de 100 a 130 minutos? Pouquíssimas!

Analise um pouco mais e notará que as primeiras delas são enormemente impactantes. A razão é a mesma pela qual estamos defendendo o conceito de preparar bem o primeiro parágrafo de um texto para a internet. A atenção e curiosidade humana hoje em dia duram bem pouco. A vastidão de informações nunca foi tão avassaladora.

Assim, se quer que seu texto seja visto de forma diferente dos demais que tratam do mesmo assunto, capte a atenção de seu leitor logo no primeiro parágrafo, e mantenha-o curioso por mais tempo.

O tamanho das frases

O plugin Yoast SEO contém uma métrica de diagnóstico bem interessante. Ao instalar esse plugin no WordPress, observamos feedbacks bem interessantes após concluirmos o upload de um texto: ele calcula o número de frases com mais de 20 palavras e acusa quando mais de 25% delas estão acima disso.

Isso está baseado nos estudos que comprovam que buscadores gostam de frases curtas, diretas e com alto poder instrutivo. O Google, por exemplo, gosta mais de separadores de texto, como o ponto-final, do que de “textos prolixados”, com uma enchente descabida de informações!

Assim, cuide para que o ‘palácio’ onde o ‘Rei’ vai morar não tenha blocos estruturais de informações muito ‘espessos’. Encurte suas frases e seja mais amigável com os buscadores da internet!

Subtítulos: porque e como estruturá-los?

Falando em separadores de texto, os mais importantes entre eles são os subtítulos (ou head tags, em inglês).

Quando se fala de H1, H2, H3 e assim por diante, precisamos ter em mente que essas quebras de texto são poderosas maneiras de tornar seu texto escaneável. Alguns redatores chegam a defender a ideia de que a qualidade de cada subtítulo ‘grita’ aos buscadores:

“Eu falo muito bem! Me leve para a SERP!”

Se você agarrar-se a esse conceito, seus textos se tornarão mais poderosos do que consegue imaginar!

Quebras de texto auxiliam o raciocínio lógico

Outras quebras de texto específicas como bullet-points, citações e enumerações, podem ampliar o poder de escaneabilidade do conteúdo.

Por isso, se transformar uma longa explicação em pequenas partes, você a torna mais simples, mais atrativa e interessante do que um bloco sem fim de palavras.

Em vez de simplesmente jogar informações, pense no impacto visual das palavras e separe-as por:

  • Fracionamento de partes com bullet-points;
  • Enumeração em ordem crescente ou decrescente; e
  • Destaque de frases importantes, quebrando o texto com o botão de citação, muitas vezes indicado no WordPress com o famoso abre aspas (“).

Negrito, itálico e sublinhado

Outras formas de tornar seu conteúdo escaneável envolve (1) negritar palavras importantes, (2) mencionar nomes de obras, filmes ou pessoas usando o recurso itálico de algumas fontes ou (3) sublinhar pontos-chave do texto.

Isso evidencia de forma visual para o leitor onde estão as informações que ressaltam o propósito do conteúdo publicado.

Imagens estáticas e vídeos

Nem é preciso relembrar (mas faremos isso novamente) que as imagens e os vídeos publicados na internet tem mais poder instantâneo do que a palavra escrita.

Lembre-se de que, com isso, não estamos querendo dizer que um dia o texto cairá em desuso. Existem infinitas provas de que um texto pode informar muito mais do que imagens em alguns casos.

Por outro lado, blog posts sem imagens e vídeos tornam-se facilmente exaustivos de serem consumidos. Por isso, existe a importância de selecionar e incluir no seu conteúdo informações visuais. Daí surge a força dos infográficos, que estão ganhando cada vez mais poder nos blogs de países europeus e nos EUA. Aos poucos, os brasileiros estão consumindo mais informações como estas, resumidas e com o atrativo da combinação com imagens.

A relevância sempre será suprema

Assim como o poder do rei é simbolizado por seu trono, o poder do conteúdo reside em sua relevância! Todo texto escrito ‘por nada’ perde valor com o passar do tempo, e acaba sofrendo algum tipo de punição dos buscadores. Muitos deles, por exemplo, dificilmente conseguem entrar nas primeiras posições da SERP. Os textos relevantes dos concorrentes sempre vencerão!

Portanto, dê ao seu rei um palácio e um trono de poder. Continue produzindo conteúdos de escaneabilidade agradável e com uma essência de peso elevada. Se fizer isso, você aumentará sua autoridade como redator e conteudista, atraindo leitores segmentados e de gosto refinado pela leitura de seus posts!

Juliano Franco Duarte
Autor

Juliano Duarte é formado em Publicidade e Propaganda pela faculdade Anhanguera. Concluiu o curso com o trabalho intitulado 'Estudo de Caso com o Inbound Marketing'. Possui experiência profissional de mais de 10 anos nas áreas de Comunicação e Marketing e desenvolvimento web. Ao longo de sua atuação em agências da Grande Florianópolis, realizou trabalhos para marcas importantes como Rede Ciipo, Miyoshi, Carioca Calçados e Volkswagen Brasil. É criador e diretor de duas startups: a agência de publicidade Santa Agência e a plataforma de produção de conteúdo Meu Redator. Esta última, com apenas 1 ano e 1 mês de existência, já conta com aproximadamente 4.000 redatores cadastrados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *