Brand Storytelling: como aplicar

Todo mundo já deve ter lido uma boa história ou vivido um evento que merece ser contado, certo? Quando narramos tais acontecimentos, elaborando bem os detalhes e trazendo a “audiência” para perto, o termo Storytelling (contar história) é usado.

Mas você deve estar se perguntando: por que isso é importante para sua empresa?

Bom, o mercado de marketing digital tem usado o Brand Storytelling (história da marca) para fazer exatamente isso, ou seja, falar sobre a fundação de sua marca ou de conquistas que ao longo dos anos foram possíveis.

Quer um exemplo hipotético?

A compra de uma nova estrutura metálica para telhado que aumentou o setor de almoxarifado e turbinou as vendas.

Por isso a técnica está cada vez mais em voga e pode ser um chamariz para futuros compradores, além de mostrar aos antigos, o quanto sua empresa de automação predial, por exemplo, tem crescido.

Há inúmeros benefícios ao aplicarmos o Brand Storytelling:

·         Engajamento com clientela – as pessoas se identificam com sua história. Também acompanham a evolução da empresa, do seu fundador e até onde chegaram. Isso, juntamente com o bom atendimento, rende muitas indicações dos consumidores e cria novos leads.

·         Criam compromissos reais – algumas empresas tem vendido uma imagem antiga e defasada. Portanto, atualizar-se com as novas tendências cria um compromisso real com seu cliente. Criar uma narrativa real gera empatia e, por sua vez, motivações para retornarem.

·         Criam admiração por personagens – a maioria dos clientes acaba se interessando pelo personagem que sua marca representa no imaginário deles. Os conflitos e dificuldades que você enfrentou para chegar onde está estimulam os compradores. E eles se inspiraram em sua trajetória.

·         Humaniza a marca – sem dúvida alguma o fator mais importante para se utilizar Brand Storytelling é a humanização de sua marca junto aos fatores expostos anteriormente. O link afetivo criado com seus consumidores será de longo prazo.

Mas como aplicar o conceito na prática?

Como aplicar Brand Storytelling em sua empresa

Cada um tem uma trajetória.

Então, imagine quão rica não foi a história do inventor do purgador de vapor, por exemplo. Quantas novidades e desafios ele não encontrou até conseguir manter a tecnologia estável e disponibilizá-la para o mercado.

Agora, lembre-se das três últimas empresas da qual comprou algo e pergunte-se:

1.       Havia algum tipo de briefing (breve relato) sobre a mesma?

2.       A comunicação do site estava atraente a ponto de você entender mais sobre a empresa?

Não se assuste se sua resposta for ‘não’. Mas é bem provável que tenha respondido ‘sim’ para, ao menos, uma das questões acima.

As empresas vencedoras estão se adequando a cada minuto e Brand Storytelling já é parte essencial destas mudanças.

A sua história pode ser contada de várias formas:

·         Vídeos institucionais.

·         Vídeos de divulgação em redes sociais.

·         Textos introdutórios em seu site.

·         Infográfico, mostrando a trajetória de sucesso que sua empresa trilhou.

·         Uma série de publicações em sites como Youtube (tanto em uma sequência de vídeos ou nos comerciais) Facebook, Instagram, entre outros.

Outros pontos fortes de narrativa devem ser levados em consideração na hora de criar o enredo de sua marca:

1.       Saiba o público que quer atingir, pois não adianta criar um vídeo ou uma identidade visual jovem se sua audiência é mais madura.

2.        Insira a missão que sua empresa tem no mercado.

3.        Lembre-se das falhas que o motivaram a seguir em frente e chegar onde está hoje.

Com as pequenas aplicações de Brand Storytelling, você mudará a comunicação de seu site e criará um caminho de rápida ascensão para o sucesso.

Gostou das dicas desta postagem? Então comente e compartilhe em suas redes sociais.

Tudo o que você precisa saber sobre funil de vendas

O comércio on-line tem crescido exponencialmente, sobretudo com a chegada da pandemia. Além de toda a comodidade para o cliente, também é uma forma mais econômica para o empreendedor de disponibilizar no mercado o seu produto ou serviço.

Seja uma distribuidora de purgador de vapor ou um fabricante de móveis planejados, para obter sucesso com o comércio on-line, é fundamental colocar em prática algumas estratégias de marketing, mais especificamente de inbound marketing, que é o tipo de marketing que trabalha a atração do cliente e não a abordagem.

Para que as estratégias de inbound marketing possam trazer os resultados esperados, é preciso entender em que fase do processo que leva a efetivação da compra, o cliente se encontra. Para isso, é importante acompanhar o funil de vendas. 

Neste texto, iremos falar sobre os estágios do funil de vendas e as vantagens que ele traz para um negócio. Acompanhe.

Como funciona o funil de vendas?

O funil de vendas acompanha todo o processo do cliente desde o primeiro contato com a empresa e cada etapa da compra. Todo esse processo é ilustrado pelo funil de vendas, sendo dividido em topo, meio e fundo de funil.

A estruturação do funil de vendas deve ser estruturado e alinhado entre o setor de vendas e comunicação.

Veja como funciona cada etapa do funil.

  • Topo de funil: é a primeira etapa do processo quando o cliente toma conhecimento da empresa e passa a conhecer seu produto ou serviço. Nesta etapa é importante conquistar a atenção do cliente com conteúdos relevantes para atraí-lo;
  • Meio do funil: nesta etapa o possível cliente já conhece um pouco mais da empresa, mas ainda tem algumas dúvidas a respeito que o impedem de realizar a compra. 

Nesta etapa, uma empresa fabricante de estrutura metálica para telhado, por exemplo, busca nutrir o cliente em potencial com mais informações e conteúdos para levá-lo à certeza da compra;

  • Fundo de funil: é a última etapa do processo onde o cliente efetiva a compra com segurança. Mas o processo não termina na venda, é importante manter um bom relacionamento com o cliente também na pós-venda.

Quais as vantagens em utilizar o funil de vendas?

Agora que já vimos do que se trata o funil de vendas, vamos apresentar algumas vantagens que ele traz para as estratégias de inbound marketing de uma empresa.

  • Melhores resultados: com estratégias bem estruturadas com o funil de vendas, uma marca consegue transmitir uma imagem de maior segurança para o público e assim, a compra se torna uma consequência natural;
  • Custo-benefício: os meios de publicidade tradicionais já não têm os mesmos efeitos em um mundo tão digital como o que estamos vivendo na atualidade, além terem um custo maior do que o inbound marketing;
  • Momento de venda adequado: o funil de venda mostra para a empresa o momento adequado de tomar cada atitude para levar o cliente a efetivar a compra.

Uma empresa de automação predial, por exemplo, que está expondo seus serviços por meio de conteúdo digital e atrai a atenção do cliente, com o funil de vendas sabe exatamente em que estágio de interesse está o cliente e assim, pode elaborar a melhor estratégia para que o cliente efetue a compra.

E então, nosso texto sobre funil de vendas foi útil para você? Esperamos que sim. Não deixe de acompanhar as próximas postagens.

Leia também:
Conteúdo evergreen: como impulsionar resultados com essa estratégia?
O que você precisa saber antes de criar um site

Como desenvolver um conteúdo estratégico

A produção de conteúdo é uma chave de sucesso no marketing digital, pois é fundamental para posicionar uma marca na internet, além de atrair clientes e ser referência no segmento de atuação.

Hoje em dia, o consumidor tem a decisão de comprar um produto a partir do conteúdo que a empresa produz. Ou seja, as estratégias de vendas estão diretamente relacionadas aos conteúdos estratégicos produzidos para os meios digitais.

É uma técnica indispensável para garantir excelentes resultados e potencializar as vendas. Um consumidor que busca por purgador de vapor, por exemplo, certamente vai pesquisar empresas na internet. Nesse sentido, é possível considerar que os usuários buscam informações nos mecanismos de busca antes mesmo de finalizar uma compra.

Se você já ouviu falar em marketing de conteúdo, que é uma ferramenta valiosa para atrair clientes de modo orgânico – sem a necessidade de investir em links patrocinados – sabe que os conteúdos relevantes são primordiais para influenciar na decisão de compra do cliente.

Mas, embora seja possível gerar valor para a marca com o marketing, é importante desenvolver conteúdos estratégicos para obter melhores resultados.

Quer saber como criar conteúdos estratégicos para a sua empresa? Continue a leitura!

O que é um conteúdo estratégico?

O conteúdo estratégico é definido por criar conteúdos que possuam objetivos específicos.

Por exemplo, se você vende um produto como estrutura metálica para telhado e precisa criar um conteúdo para as mídias digitais, é necessário definir um objetivo, que basicamente, é relacionado sobre o que a sua marca deseja alcançar. Dentre os principais objetivos são:

  • Atrair o público-alvo;
  • Gerar autoridade;
  • Aumentar a visibilidade no mercado;
  • Ser referência no segmento de atuação;
  • Entre outros.

De forma geral, antes de criar um conteúdo estratégico é imprescindível ter a definição sobre o objetivo que deseja obter para o seu negócio através do material a ser divulgado.

Essa estratégia é fundamental para agregar valor à marca e obter uma reputação positiva. Por isso, elaborar o planejamento estratégico de conteúdo é essencial para definir os objetivos da marca.

Tendo em vista que esse conceito possui um determinado propósito que define os objetivos em um planejamento, é possível avaliar se os resultados estão sendo de acordo com o esperado.

Afinal, é importante compreender se o conteúdo gera relevância e se, de fato, está sendo estratégico. E com o uso de KPIs, que são os indicadores-chave de desempenho, há possibilidade de identificar o engajamento e envolvimento gerado após a divulgação do conteúdo. Confira a seguir como desenvolver o conteúdo estratégico na sua empresa!

Como desenvolver um conteúdo estratégico?

Criar conteúdo estratégico é fundamental para aproximar marca e cliente, independente do segmento de atuação, seja em vendas de martelete demolidor, cosméticos, entre outros. Veja a seguir como desenvolver na sua empresa.

1. Identifique a como a ocorrência atua no mercado

Entender quais são as estratégias utilizadas e o tipo de conteúdo produzido pela concorrência é ideal para desenvolver o seu conteúdo estratégico.

Isso permitirá identificar os principais temas em alta no segmento do seu negócio e, assim, criar conteúdo exclusivo para se destacar e atrair o consumidor. 

2. Foque na sua persona

De nada adianta analisar a concorrência e criar conteúdos que não obtenha a linguagem do seu público, certo?

Desse modo, para deixar a concorrência para trás com o conteúdo estratégico, foco na persona!

Até porque, para garantir autoridade da marca é necessário direcionar conteúdos para um público específico, pois são os potenciais clientes que demonstram interesse nos produtos e serviços da marca.

Feito isso, a aplicação de estratégias poderá ser eficiente, haja vista que além da informação ser relevante, a linguagem estará de acordo com o público-alvo, ou seja, é preciso saber se comunicar com os seus potenciais clientes.

3. Defina os canais certos de comunicação

Outro fator determinante para desenvolver um conteúdo estratégico, é a definição dos canais para divulgação, que nada mais é do que o canal de comunicação.

Identifique as preferências do público-alvo e quais são as redes sociais mais utilizadas, como Instagram, Facebook e até mesmo blog. 

4. Diversifique os formatos dos conteúdos

Há quem ainda comete erros na atualidade quando o assunto é conteúdo estratégico. Nem sempre um formato que gerou resultado em um determinado mês, trará os mesmo resultados se for utilizado com frequência. Neste caso, a melhor solução é diversificar!

Portanto, para obter o maior alcance do público, produza conteúdos em formatos diferentes, desde vídeos (tutoriais, dicas, vantagens e benefícios de um produto, entre outros), podcast, webinar e afins. Para te ajudar, elabore um cronograma para suas publicações!

5. Promova o conteúdo nas mídias digitais

Por fim, mas não menos importante, promova os conteúdos nas mídias digitais. Isso inclui site, redes sociais e até mesmo campanhas de e-mail marketing.

A verdade é que há muitas formas de promover o seu conteúdo na internet, mas para que a sua estratégia seja eficiente, é importante saber utilizar as ferramentas.

Um site é ideal para divulgar conteúdo e atrair visitantes, mas além de investir em conteúdos relevantes, você precisa investir para ter uma plataforma de qualidade para permitir uma experiência positiva do usuário ao navegar em página com bom carregamento e layout responsivo.

No e-mail marketing é ideal para promover newsletter e lançamentos, por exemplo. Contudo, se atente a sua base de clientes, afinal, a LGPD (lei Geral de proteção de dados) entrou em vigor em 18 de setembro de 2020, logo, é necessário enviar conteúdos por e-mail somente com o consentimento do consumidor, ou seja, com a autorização!

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe nas suas redes sociais e deixe o seu comentário!

Aplique as melhores estratégias de SEO para o seu e-commerce

Você tem uma loja virtual, mas não consegue atrair visitantes para a página? Provavelmente há insucesso nas vendas. Até porque, é quase impossível potencializar as vendas sem atrair tráfego para o seu e-commerce. 

Afinal, a competitividade nos meios digitais está cada vez mais acirrada, visto que há inúmeras oportunidades de fazer negócio, como divulgar serviços de manutenção de elevadores residenciais, produtos personalizados, entre diversos outros.

De acordo com um levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 97% da população brasileira faz pesquisas online antes de comprar em lojas físicas.

Ou seja, é imprescindível adotar técnicas para aumentar a visibilidade nos meios digitais. Por essa razão, é ideal investir na otimização para os mecânicos de busca com a técnica de SEO (Search Engine Optimization) para facilitar que o consumidor encontre o e-commerce e tenha facilidade no ato da compra.

Quer saber quais são as melhores técnicas de seo para o seu e-commerce atrair mais visitantes e aumentar o número de vendas? Continue a leitura e confira!

O que significa estratégias de SEO para e-commerce?

O SEO é um termo muito utilizado nas ações estratégicas de marketing digital. 

A sigla significa otimização para mecanismos de busca, cujo objetivo é otimizar sites, blogs e até mesmo lojas virtuais.

Aplicar a estratégia de SEO para e-commerce é fundamental para quem deseja melhorar o posicionamento no Google e ser encontrado na primeira página. Dito isto, é possível considerar que o principal objetivo é atrair mais tráfego, visto que os consumidores realizam a pesquisa nos mecanismos de busca antes mesmo de ir à loja física. 

A otimização para as lojas virtuais é fundamental para quem deseja atrair o público de modo natural, sem a necessidade de investimentos financeiros através de anúncios. Além disso, outros benefícios dessa estratégia de marketing são:

  • Ganhar autoridade e visibilidade da marca;
  • Atrair mais visitantes para de modo orgânico (os mais interessados em determinado produto, como martelete demolidor, por exemplo;
  • Aumentar as vendas;
  • Gerar lucratividade;
  • Experiência positiva do usuário;
  • Diminuir custos com o uso de anúncios patrocinados.

Logo, para aumentar as vendas e visibilidade do e-commerce é importante aplicar as melhores técnicas de SEO e de modo assertivo. Veja a seguir como aplicar no seu negócio!

As melhores estratégias de SEO para o seu e-commerce

Agora que você já sabe para que serve a técnica de otimização de site para as lojas virtuais, confira a seguir quais são as melhores estratégias para conquistar o aumento de tráfego e vendas!

1. Palavras-chave

Poucos sabem, mas é imprescindível realizar a pesquisa da palavra-chave para facilitar que os usuários encontrem o seu e-commerce. 

Isso influencia no posicionamento da página, pois são elas que direcionam o público para o site.

Uma empresa que atua com estruturas metálicas, pode realizar a palavra-chave certa, que nada mais é do que como o consumidor fará a pesquisa nos mecanismos de busca para realizar uma compra na internet. Esse é um dos segredos para posicionar a loja virtual!

É importante lembrar que o consumidor pode passar por diferentes etapas na decisão de compra. Desse modo, é preciso definir as palavras chave em head tail e long tail.

Um cliente que busca informações de um produto na internet, basicamente está no início da pesquisa e não possui a decisão de compra, sendo o head tail, definido por termos mais curtos. O long tail são pesquisas mais específicas.

Para te auxiliar, é possível usar ferramentas como o Keyword Planner, do Google Ads, para encontrar as palavras-chave certas para otimizar. 

2. Insira as palavras chave corretamente

Após definir as palavras chave, basta otimizar o site e inseri-las de modo estratégico. Dentre os principais locais do site são:

  • URL amigável;
  • Meta título (título que aparece para o usuário na página de resultados de pesquisa);
  • Meta descrição (descrição sua página nos mecanismos de busca);
  • H1 (título principal da página);
  • Resumo do produto na loja virtual.

3. Marketing de conteúdo 

Os conteúdos são os principais fatores que atraem os visitantes para uma página. No e-commerce, não é diferente!

Por isso, investir no marketing de conteúdo é uma excelente estratégia e influência nos resultados da aplicação de SEO, até porque, os algoritmos do Google posicionam um site que gera relevância para o público. 

Isso significa que além de atrair visitantes no e-commerce, é importante garantir uma boa experiência e investir em conteúdos que influenciam na decisão de compra do cliente.

São inúmeras opções que você pode escolher para sua loja virtual que influenciam o usuário a assimilar que precisa do produto e a sua marca tem a solução para os seus problemas! Para isso, busque investir em um blog para o seu e-commerce.

Leia também: O que é uma empresa de SEO?

4. Velocidade de carregamento da página 

Se tem algo que influencia significativamente no posicionamento de uma loja virtual, site organizacional e blog, é o carregamento da página. 

Uma vez que o usuário acessa um e-commerce em busca de um produto, decerto que deseja obter facilidade para visualizar a imagem do produto e adquirir.

Entretanto, se a página não fornecer um bom carregamento pode acarretar o aumento da taxa de rejeição na página e, consequentemente, perder clientes para a concorrência!

Portanto, garanta um site rápido para oferecer experiência positiva aos usuários, a fim de manter permanência na página e influenciar no ranqueamento do Google. 

Leia também: Como vender no ecommerce usando SEO

Gostou do nosso conteúdo? Então, compartilhe nas suas redes sociais e deixe o seu comentário!

3 segredos sobre a estratégia de marketing de conteúdo

Quer descobrir os segredos do marketing de conteúdo? Então, está no lugar certo!

Há quem pense que essa estratégia é relacionada apenas para oferecer conteúdos relevantes para o público nas mídias sociais. Mas, vai além disso.

Decerto que é um dos principais objetivos, mas também é uma técnica infalível para gerar engajamento, maior audiência e captação do público, por isso, as empresas buscam investir cada vez mais nessa prática.

Qualquer empresa pode adotar essa estratégia, inclusive indústrias de purgador de vapor, contudo, deve ser implementado de modo assertivo para ter sucesso na captação do público-alvo. 

Além disso, o marketing de conteúdo é de suma importância para as estratégias do marketing digital serem efetivas. Por sua vez, é eficiente para focar na produção de conteúdos relevantes para o público específico, logo, se torna importante para as estratégias de inbound marketing, uma outra técnica de atração.

Quer saber mais sobre o assunto e quais são os três segredos do marketing de conteúdo? Continue nos acompanhando neste post e fique por dentro de tudo!

Entenda o que é marketing de conteúdo e sua importância 

Marketing de conteúdo é definido por estratégia de marketing com o objetivo de produzir e distribuir conteúdos relevantes para o público-alvo nas redes sociais, sites, blogs, entre outros.

Basicamente, quando você pesquisa ”o que são estruturas metálicas?” na internet e encontra informações relevantes em determinado site ou blog, é marketing de conteúdo!

É possível considerar que ao implantar essa prática na sua empresa, pode-se facilitar que as pessoas interessadas nos seus serviços ou produtos encontrem informações no momento em que precisarem.

Dessa maneira, o marketing com foco em distribuir conteúdos de relevância é a chave para o sucesso de qualquer negócio. Afinal, conteúdo é o principal fator que atrai a atenção do consumidor!

Além do mais, é uma técnica eficiente para influenciar na decisão de compra de modo natural. Uma vez que o cliente pensa em comprar elevadores residenciais, por exemplo, e ter acesso às informações do equipamento, vantagens, benefícios e afins, no site da marca, pode assimilar que realmente precisa do produto e fazer a aquisição após ter acesso às informações relevantes. 

1. Criar conteúdos ricos para blog pode aumentar a visibilidade da empresa

Quando falamos em marketing de conteúdo, pode ser relacionado a alta eficiência que proporciona ao distribuir material em um blog corporativo.

Embora os conteúdos também sejam eficientes nas redes sociais, é importante ressaltar a importância de implementar essa técnica de modo correto na página da internet.

Não pense que vai atrair o público e gerar tráfego no seu blog ao publicar textos curtos e que não são relevantes para os usuários. É necessário investir em conteúdos que eduquem o seu público, além de incentivar de modo natural na decisão de compra.

Logo, criar novos posts que tenham a capacidade de atrair potenciais clientes e gerar autoridade dá a sua marca melhor reconhecimento e visibilidade no mercado.

Uma vez que adota essa estratégia, além da técnica de SEO (Search Engine Optimization) para otimização de site, é possível ter melhor posicionamento nos mecanismos de busca, como o Google. Isso é excelente, não é mesmo? 

Assim, os algoritmos reconhecem que sua página gera relevância para os usuários, por isso ela obtém autoridade e aparece entre os principais resultados de pesquisa.

2. O marketing de conteúdo é fundamental para gerar relacionamento entre marca e cliente

Acredite: o marketing de conteúdo é essencial para gerar relacionamento com o cliente nas mídias sociais e aumentar o engajamento com a sua marca!

Na atualidade, as empresas que investem em conteúdos relevantes e interagem com os usuários, têm maior probabilidade de captá-los e gerar fidelização.

Para isso, é possível oferecer conteúdos em gráficos, imagens, vídeos, textos, entre outros.

Além do mais, um usuário que gostar do seu conteúdo pode compartilhar com os colegas e, basicamente, divulgar a marca pelo próprio arbítrio. Ou seja, pode ocasionar maior alcance de publicidade, audiência e reconhecimento no mercado. 

3. Contribui para diminuir os gastos da empresa

Você sabia que é possível diminuir os custos do seu negócio ao usar o marketing de conteúdo e, consequentemente, conquistar mais faturamento e lucratividade?

Isso é vantagem para qualquer gestor, e ao usar o marketing de conteúdo do jeito certo, é possível garantir a redução de custos, visto que mais clientes interessados que tiverem acesso aos post no blog, informações relevantes no site e redes sociais, tomam a decisão de comprar na sua empresa.

Afinal, ao investir nessa parte e na otimização de site, mais pessoas encontrarão a sua marca!

Quanto maior o número de pessoas visitando a sua página nas mídias sociais, gerando tráfego orgânico, menos investimentos em anúncios pagos serão necessários, logo, a estratégia reduz custos, capta clientes e obtém lucro organizacional!

Gostou do nosso conteúdo com os 3 segredos do marketing de conteúdo? Então compartilhe nas suas redes sociais e não se esqueça de deixar seu comentário!

O que você precisa saber antes de criar um site

A tecnologia avançou e influenciou nas novas formas de fazer negócios. Na atualidade, investir em sites empresariais se tornou um fator de suma importância para agregar no aumento de clientes, vendas, fidelização e lucratividade.

De acordo com o estudo que o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), edição 2019 da pesquisa TIC Domicílios, revelou que 134 milhões de usuários acessam a internet no país, 74% da população com 10 anos ou mais. 

São muitos os usuários que podem encontrar o seu site na internet, não é mesmo? Por isso, diferentes segmentos como indústrias de embalagens plásticas, vendas de cosméticos, entre diversos outros, buscam ter um site empresarial para fazer negócios.

Contudo, é importante criar um site de modo assertivo, a fim de obter sucesso nas suas visitas e aumentar suas vendas.

Ficou curioso e quer descobrir o que é preciso saber antes de criar um site? Então, continue nos acompanhando neste post e fique por dentro de tudo!

1. O site precisa ser responsivo

Antes de tudo, é importante criar um domínio para o seu site, que é o endereço que o público vai encontrar na página. 

Mas, já acessou um site que não era adaptado para acessar com o uso do celular?

Certamente você rejeitou o site e procurou informações em outra página. Isso é ruim! Para não acontecer no seu site, crie um com o layout responsivo.

Isso significa que os usuários terão acesso a qualquer dispositivo móvel, sendo smartphones, tablets e computadores, adaptando os conteúdos e facilitando a navegação do usuário, atendendo suas necessidades.

Não só isso, mas um site responsivo é primordial para auxiliar no posicionamento da marca nos mecanismos de busca, como o Google, a ficar no topo de pesquisa, entre os principais resultados.

Portanto, se deseja criar um site para o seu negócio, independente do segmento, seja placa de circuito impresso, itens personalizados, entre diversos outros, é imprescindível criar um com layout responsivo.

2. É necessário escolher uma hospedagem

Outro fator importante, é a hospedagem. Decerto, muitos não imaginam, que é necessário hospedar uma página na internet, ou nunca ouviram falar nesse termo.

Basicamente, é o local que irá estruturar o seu site para guardar arquivos, informações, imagens, vídeos, entre outros, no sistema online.

Portanto, é necessário fazer uma boa pesquisa e optar pela hospedagem confiável que atende suas necessidades em relação aos custos mensais.

3. O design do site deve ser ideal para atrair o público

Sites que encantam é essencial para ajudar o seu negócio a crescer no mercado e se destacar entre a concorrência.

Afinal, navegar em uma página com visual agradável, informações fáceis de encontrar e que gera relacionamento, sem dúvida, melhora a experiência do usuário e mantém por mais tempo conectado no site em busca de informações.

Imagine que você trabalhe com vendas de martelete demolidor. Um equipamento pode, por muitas vezes, não ser interessante para um tipo de público, mas as pessoas interessadas e que querem usufruir o produto, desejam acessar um site com informações do item, imagens, vídeos, e afins, para comparar em determinada empresa.

Logo, o bom design pode ser determinante para atrair e encantar os usuários. Dessa maneira, diminui a taxa de rejeição, ou seja, quanto mais usuários acessarem o site e rejeitarem com mais facilidade, permanecendo pouco tempo, diminui a autoridade da marca.

E, caso a experiência do consumidor seja positiva, gera autoridade do seu site e é bem posicionada nos buscadores.

Para isso, busque por especialistas – se necessário – para te auxiliar na criação de design e ter um site que encanta qualquer pessoa que acessar a sua página, gerando maior probabilidade de captar clientes!

4. Publicar conteúdos relevantes é fundamental

Não pense que apenas um bom design, layout responsivo e ter uma boa hospedagem, que vai fazer o seu site ter sucesso. 

É claro que isso também é considerado, contudo, os conteúdos são indispensáveis, afinal, são eles que farão os usuários chegarem até você!

Por sua vez, é fundamental criar conteúdos relevantes, criativos, que atraiam o público e encantam, assim como no design. 

Dito isto, é importante manter o site sempre atualizado, com frequências na publicação de novos conteúdos e continuar gerando tráfego orgânico, ou seja, aumentar as visitas sem ter que pagar por isso com anúncios.

Logo, o seu site se torna relevante para o algoritmo do Google, que ao reconhecer esses fatores, principalmente a taxa de rejeição, maior será a chance de posicionar o seu negócio na primeira página dos resultados de busca. Use a técnica de SEO para te auxiliar a posicionar com a otimização de site.

5. Divulgar o site nas mídias sociais auxilia no aumento de tráfego

Por fim, mas não menos importante, você precisa saber que divulgar o link do seu site nas redes sociais, como Facebook e Instagram, são determinantes para influenciar no aumento de tráfego e obter bons resultados no seu negócio.

Afinal, é possível alcançar o seu público nas plataformas com mais facilidade, logo, ao criar conteúdos relevantes nas diferentes plataformas, os interessados, sem dúvida, vão acessar o link do site e ser direcionado para a plataforma, gerando mais tráfego e autoridade a marca.

Gostou do nosso post sobre o que você precisa saber antes de criar um site? Então, não deixe de comentar e de compartilhar com os seus colegas.

Conheça os principais indicadores de marketing digital

Você já ouviu falar em indicadores de desempenho?

São ferramentas de marketing digital, também conhecidas como KPIs (Key Performance Indicator), indicadores chave de desempenho.

Nos dias de hoje, é quase impossível que as empresas não invistam nas estratégias de marketing, haja vista que grande parte do seu público está nos meios digitais. 

Contudo, se uma empresa de estrutura metálica investe nessas estratégias para reduzir custos e potencializar os resultados, é indispensável acompanhar o desempenho de suas campanhas para obter melhor planejamento a fim de conquistar o sucesso organizacional. 

Neste contexto, é possível analisar utilizar os diferentes indicadores do marketing para analisar os resultados!

Pensando nisso, listamos neste conteúdo quatro principais indicadores de marketing digital, que você, como gestor, não pode deixar de fora do seu negócio. Ficou interessado e quer saber mais sobre o assunto? Continue lendo para descobrir!

Afinal, o que são indicadores de desempenho (KPI)?

Decerto que qualquer gestor busca bons resultados para a organização. Logo, acompanhar o desempenho de campanhas realizadas para um produto específico como, placa de circuito impresso, por exemplo, é muito importante mensurar os resultados a fim de analisar se o desempenho alcançado foi como almejado. 

Dito isto, os KPI são ferramentas do marketing digital eficientes para auxiliar na tomada de decisão nas organizações e tem como característica medir o resultado.

Os indicadores referem-se a uma métrica específica usada como linha de base para medir um resultado. Nas estratégias de marketing digital elas são indispensáveis, afinal, são números de desempenho das estratégias aplicadas pelas empresas e podem ser usados para qualquer área, sendo financeiras ou comportamento do consumidor. 

Confira a seguir quais são os principais indicadores!

1. Taxa de cliques (CTR)

Quer saber quantas vezes o seu anúncio de martelete demolidor apareceu para o seu público através da taxa de cliques?

O indicador de desempenho CTR permite calcular quantas vezes o seu anúncio foi exibido para os potenciais clientes.

Isso é possível, pois é dividido o número total dos cliques com o número total de impressões, logo, multiplicar o resultado por 100.

O resultado final mostrou a porcentagem do total de cliques no anúncio de acordo com as vezes que foi alcançado pelo público. 

2. Taxa de conversão

Muito provavelmente você já ouviu falar nesse termo, afinal, é um dos principais indicadores do marketing digital que possibilita traçar estratégias com base nos resultados analisados.

A taxa de conversão tem a capacidade de determinar a quantidade de visitas no site, blog, assinatura, cadastro para compras e afins, de modo que a organização possa analisar o número de conversões de clientes no seu negócio.

Ou seja, a cada 100 números de visitas no site, e 70 realizando assinatura para receber conteúdos, vai indicar uma taxa de conversão de 70%. 

3. Taxa de rejeição

Da mesma forma que o gestor tem interesse em analisar o desempenho de conversão, é interessante acompanhar a taxa de rejeição.

A taxa de rejeição é o KPI indicado para analisar a porcentagem dos visitantes que, de alguma forma, rejeitaram o seu site.

Isso significa que os usuários não encontraram informações relevantes de modo que não atrai a atenção e nem atende as necessidades. 

Dessa maneira, o ideal é fornecer conteúdo de relevância para proporcionar o relacionamento com o usuário e fazer com que clique em outras páginas do site, a fim de evitar o aumento da taxa de rejeição.

 Assim sendo, diferente da taxa de conversão que ao obter uma porcentagem alta, indica bons resultados, no indicador de rejeição quanto menor for o resultado da porcentagem, melhor.

4. ROI (Return On Investment)

Por fim, mas não menos importante, o ROI é outro indicador de desempenho com alta eficiência no marketing digital. 

Este KPI significa retorno sobre investimento, ou seja, permite indicar o desempenho das suas ações de marketing através de anúncios, por exemplo, para captar o público alvo. 

Já parou para pensar que obter os resultados de retorno dos investimentos que você aplicou no seu negócio contribui para o planejamento da organização:

Isso porque permite uma noção real se as estratégias foram eficientes para captar as pessoas mais interessadas por serviços e produtos do seu negócio.

Neste contexto, é a melhor forma de entender se a empresa está tendo lucro ou prejuízo!

Para calcular basta dividir o valor de faturamento subtraindo por custos, e subtrair pelos custos. 

O cálculo do ROI pode ser feito de uma forma bem simples, dividindo-se o valor faturado subtraído dos custos, por esses custos e multiplicar por 100 para saber a porcentagem.

Ou seja, se os resultados forem de acordo com o esperado, é sinal de que as estratégias e investimentos foram aplicados de modo assertivo, gerando lucro para a empresa ao invés de prejuízos. 

Agora você já conhece os principais indicadores de marketing digital, então, o que está esperando para utilizar e obter melhores resultados no seu negócio? Gostou do nosso post? Compartilhe com os seus colegas e deixe o seu comentário!

Esse artigo escrito por Thais Teixeira.

Marketing automotivo em 2021: dicas essenciais

O ano de 2021 não é e nem será um momento fácil para a humanidade. Ainda vivemos a pandemia do novo coronavírus, que segue se acirrando pelo Brasil e vitimando mais pessoas. Além do dano humanitário e sanitário, a pandemia também causa dano econômico. São muitas as empresas com dificuldade para conseguir se posicionar no mercado nesse contexto. Por isso, é importante entender como fazer Marketing Automotivo em 2021.

Nesse momento, já foram mais de 700 mil empresas que fecharam as portas por causa da pandemia do novo coronavírus, muitas delas no setor automotivo. Ainda que as pessoas precisem de automóveis para se locomover com mais segurança nessa pandemia, o setor não vem prosperando nessa situação (só em 2020, a queda no número de carros vendidos foi de 26%).

Portanto, é essencial entender como fazer Marketing Automotivo em 2021 para poder alcançar os melhores resultados. Siga a leitura abaixo para saber mais!

5 dicas de Marketing automotivo em 2021

1. Transfira a presença física para a virtual

O mundo do marketing se tornou diferente com a chegada da pandemia, e acentuou mais ainda a presença digital. A adaptação para o meio virtual levou empresas despreparadas a fecharem suas portas, sem saber como levar para seu público o mesmo conteúdo que ele poderia encontrar nas concessionárias.

Pensando em compensar essa falta, aplicativos como o Instagram ou o Zoom investiram em melhorias para apresentações abertas ao público como o recurso Live ou salas privadas. Com esses novos recursos, é possível, por exemplo, fazer um showroom virtual no Instagram, ou visitação virtual em salas de aplicativos de reuniões. Dessa forma, sua empresa ainda mantém contatos especiais com possíveis clientes e cria conexões que vão além da impessoalidade de posts ou textos no website.

2. Invista em assistentes virtuais 

Mais conhecidos como chatbox, os aplicativos de assistente virtual podem ser instalados em seu site e nas redes sociais para programar respostas automáticas para seus clientes. Ao diminuir o tempo de espera de resposta, seu cliente em potencial se sente mais valorizado e mais interessado em prosseguir com a compra.

Um assistente virtual pode ser instalado também em seu WhatsApp, permitindo uma conversa cordial para sanar possíveis dúvidas diretamente com a inteligência artificial, e reencaminhando para um funcionário real quando o cliente desejar passar para a etapa de visitação ou compra.

3. Seja ativo nas redes sociais

Quão ativa a sua empresa deve ser nas redes sociais? Diariamente. A internet tem um fluxo temporal próprio, em que algumas coisas viralizam rapidamente, e outras caem em esquecimento como se nunca tivessem existido. Por isso, é necessário estar sempre presente, reafirmando os valores e objetivos de sua empresa, mostrando seus produtos e a forma de se relacionar com clientes.

Por exemplo, se sua concessionária for especializada em carros Fiat, busque atrair um público que tenha interesse na marca, e exponha diariamente, pelo menos três vezes por dia, todos os modelos que sua loja trabalha. Pode parecer exaustivo, mas para as redes sociais, é uma prática comum, que passará como natural para seu público.

4. Trabalhe com Marketing de Conteúdo

Você sabia que 95% de todas as compras automotivas começam com uma pesquisa na Internet? O consumidor de carros, atualmente, não vai mais até a concessionária para tirar suas dúvidas sobre os veículos, ele faz todo esse processo online. 

O consumidor moderno aprende tudo sobre carros online, antes mesmo de sequer entrar em contato com a concessionária. Quando ele finalmente entra na loja para comprar, já está decidido em relação ao modelo.

Portanto, é essencial para quem trabalha no setor investir em Marketing de Conteúdo. Trata-se da produção de conteúdos em texto ou vídeo para ensinar mais sobre os produtos da área ao consumidor, de modo que ele possa fazer a sua decisão de compras mais consciente.

5. Esteja preparado para os micro-momentos

O Google define o conceito de “micro-momentos” como situações de compra em que o consumidor passa por um ciclo inteiro de vendas em poucos segundos. Por exemplo, imagine que chegou o horário do almoço e a pessoa ainda não sabe onde vai almoçar. Ela abre o Google e digita “restaurante próximo de mim”, por exemplo, e vê uma lista de lugares recomendados geograficamente próximos dela. Depois de uma rápida olhada nos lugares, faz sua decisão e vai até um deles.

Esse processo dura, no máximo, uns 5 minutos, não mais do que isso. Na maior parte das vezes, dura apenas alguns segundos, já que as pessoas costumam pegar o primeiro contato que vêem no Google.

No setor automotivo, existem várias oportunidades de micro-momentos. Basta estar preparado para eles. Por exemplo, o pneu da pessoa acabou de furar. Ela vai parar o carro, digitar “loja de pneus” no Google e pegar o primeiro contato (ou um dos primeiros).

Faça uma análise da sua empresa e veja quais são os potenciais micro-momentos que seus produtos ou serviços atendem. Então, monte uma estratégia para estar sempre em destaque quando eles chegarem.

Pronto! Essas são as principais dicas de Marketing Automotivo em 2021. Deu para entender que houve uma digitalização mais acelerada da propaganda por causa da pandemia, não é mesmo? Coloque essas dicas em prática para ter os melhores resultados neste ano.

E aí, o que você espera do Marketing automotivo em 2021? Comente abaixo!

Como um bom branding pode fortalecer o seu negócio

Decerto que o fortalecimento da marca é ideal para qualquer negócio. Afinal, uma marca bem posicionada no mercado obtém maior probabilidade de captar clientes.

Se você trabalha com estrutura metálica para telhado, saiba que é possível fortalecer a imagem do seu negócio. Caso esteja começando o seu empreendimento, pode criar o branding para a nova marca.

Assim sendo, é a prática ideal para criar boa imagem e reputação de determinada organização, a fim de proporcionar segurança aos consumidores que procuram pelo serviço e melhor relacionamento.

Quer saber como um bom branding pode fortalecer seu negócio? Então continue acompanhando este post e confira! Vamos lá?

Afinal, o que é branding?

O branding é ideal para qualquer negócio, até mesmo para indústrias de purgador de vapor que visa despertar e criar sensações com os clientes, a fim de incentivá-lo a tomar decisão de compra através de ações relacionadas ao propósito e valores da marca, além do posicionamento no mercado. 

Neste contexto, é possível compreender que um bom branding é capaz de fortalecer a marca no mercado, visto que tem a capacidade de conquistar os corações dos consumidores, tendo a organização como referência no ramo de atuação. 

Como o branding pode fortalecer o seu negócio?

Em resumo, o bom branding tem alta capacidade de fortalecer a marca no mercado, seja de empresas responsáveis por elevadores residenciais e afins. Isso porque com as séries de estratégias aplicadas, é possível fazer com que a marca permaneça por mais tempo na mente das pessoas.

Afinal, nos dias de hoje, ter clientes que pensam no seu negócio como referência no mercado devido à imagem da organização, que transmite qualidade nos serviços e produtos oferecidos além de segurança, é a chave do sucesso, não é mesmo?

Portanto, é possível que a prática gere grandes resultados no desempenho da empresa. 

Como fazer um bom branding?

Agora que você já sabe mais sobre este conceito, confira a seguir como fazer o brand para fortalecer o seu negócio!

1. Crie a sua identidade

Para ter um bom branding é muito importante criar identidade do seu negócio, tanto verbal quanto visual.

Embora não pareça ser determinante, um slogan faz a total diferença na captação do público específico de modo a manter o relacionamento com a marca.

Além do mais, de nada adianta fornecer uma linguagem que não esteja adaptada ao seu tipo de público, certo? Então, evite cometer esse erro e aplique um branding de sucesso. 

2. Invista em estratégias de marketing digital

Outra maneira que contribui para um bom branding é investir em estratégias de marketing digital

Para que o consumidor compreenda a importância do seu negócio e tenha a marca sempre presente quando decidir realizar alguma compra, apostar em sites e em marketing e conteúdo é uma excelente opção.

Um site com informações relevantes e que seja atrativo para o consumidor ao demonstrar os valores da empresa, vai permitir uma conexão maior com o potencial cliente. 

Isso porque é possível que o usuário se identifique com o visual e possa decidir comprar, ou não, no meu negócio.

Mas, é muito importante analisar a personalidade da empresa como se ela fosse um indivíduo.

Conforme mencionamos anteriormente, a identidade visual e verbal, são determinantes para a identificação do cliente com a empresa, por isso, adeque as estratégias de acordo com o seu público.

3. Tenha um diferencial competitivo

É quase impossível conquistar os clientes para a organização que não obtenham um diferencial competitivo, não é mesmo?

Afinal, ele pode obter preferência pelo concorrente se a sua marca não oferece produtos e serviços que atendam suas necessidades. Um serviço diferenciado, melhor experiências ao usuário, entre diversos fatores podem contribuir para obter melhor imagem da empresa e fortalecer no mercado. 

Além do mais, oferecer o melhor preço ou experiências memoráveis, por exemplo, são fatores que também contribuem para o posicionamento da marca. Assim sendo, planejar as ações é primordial para definir um bom brand na organização

4. Análise de mercado 

Por fim, mas não menos importante, vale ressaltar que é indispensável realizar a análise de mercado para aplicar as estratégias de criar o seu brand com sucesso.

Estudar o que acontece no mercado altamente competitivo possibilita captar os clientes de modo mais assertivo e eficiente, visto que compreende o tipo de público para que a marca oferece serviços e produtos,

As pessoas mais interessadas, sem dúvida, são essenciais para potencializar as vendas além de permitir conquistar metas e objetivos. Dito isto, identifica os gostos e preferências dos potenciais clientes, além de opiniões para gerar estratégias eficazes para tornar a marca reconhecida no mercado.

Agora que você já sabe o que é branding e como fazer um bom branding, o que acha de colocar as dicas em prática e fortalecer o seu negócio? Gostou do nosso post? Então, não deixe de comentar e de compartilhar com os seus colegas!

Como vender no ecommerce usando SEO

Gerenciar uma loja virtual não é fácil. É necessário ter muito conhecimento e técnica para colocar tudo que é preciso pôr em prática e conseguir os melhores resultados. Por exemplo, você sabe como vender no ecommerce usando SEO? Se não, precisa aprender. Afinal de contas, é essencial aprender como usar o SEO para melhorar as suas vendas online, seja qual for o seu tipo de loja.

Hoje em dia, o Google move mais de 100 bilhões de pesquisas por mês. Isso significa que a cada segundo, mais de 38 mil pesquisas são feitas. Até você terminar de ler este artigo, mais de 10 milhões de buscas terão sido realizadas no Google. Ou seja: o buscador é a maior fonte de tráfego do planeta de longe! Por causa disso, é importante que você saiba como otimizar o seu ecommerce usando técnicas de SEO para vender mais. 100 bilhões de também é o faturamento que o setor de lojas digitais teve em 2020.

E aí, quer aprender como vender no ecommerce usando SEO? Então é só seguir as dicas abaixo!

4 dicas de como vender no ecommerce usando SEO

1. Entenda o que faz o SEO de um site melhorar

Muitas pessoas acreditam que SEO é algum tipo de fórmula mágica ou configuração especial que se coloca em um site, como um pedaço de código. Pronto, agora o site vai performar melhor. Não é bem assim.

De fato, o SEO é uma espécie de fórmula, mas do Google. É o buscador que calcula as coisas com base em mais de 200 fatores para saber qual site recomendar aos usuários.

No entanto, esses 200 fatores estão abrigados em 4 grupos principais. São eles:

  • autoridade;
  • experiência do usuário;
  • prova social;
  • otimização técnica.

Por exemplo, a autoridade é medida pela quantidade de links que um domínio recebe, o tipo de assunto, quais são as empresas que linkam para ele e muito mais. Já a experiência do usuário é medida por taxas e métricas como taxa de rejeição, taxa de cliques e muito mais.

Sabendo como o SEO funciona, é possível otimizar o seu site aos poucos para gerar melhores resultados nas buscas e nas conversões. Por exemplo, é importante criar cores bem contrastantes para os botões de CTA do seu ecommerce. Botões como o de Comprar, por exemplo, devem estar bem visíveis e chamativos. Isso gera mais resultados e, por consequência, menos taxa de rejeição e melhora o SEO.

2. Foque muitos esforços na otimização para o usuário

Como deu para ver, a experiência do usuário é essencial para o seu SEO. Por isso, foque em proporcionar a melhor experiência possível para o seu cliente. Isso significa facilitar ao máximo a compra, deixar o layout do site bem simples e legível, encontrar as informações com facilidade e mais.

Além disso, é importante também manter o site sempre funcional. Isso significa ter o servidor sempre no ar, com a velocidade em alta e sem bugs. Isso ajudará a manter a experiência do usuário em alta e melhorará o seu posicionamento.

3. Gere tráfego para seus pontos de venda

Mesmo o site mais otimizado do mundo demorará bastante para se posicionar bem no Google sem um fator: tráfego. Na Internet, quanto mais tráfego, mais tráfego que se tem. Ou menos. Confuso? É fácil de entender!

Quanto mais tráfego se tem, mais sólidos são os números obtidos. Por exemplo, suponha que seu site tenha 1 milhão de visitas por mês e uma taxa de rejeição de 12%. Ou seja: 880.000 pessoas curtem o que encontram e 120.000 vão procurar em outro lugar. Isso gera bastante solidez para o seu site. Portanto, se tiver um probleminha e, em um momento, cerca de 1.500 pessoas a mais rejeitaram o site, você não sofre tanto assim com o problema. No entanto, o oposto é verdadeiro: se o site estiver ruim, será mais difícil reverter o problema.

Por isso, é importante você gerar tráfego para seus pontos de venda para melhorar a conversão. Isso inclui desde o seu site próprio até as redes sociais, passando por presença na lista de lojas de tecnologia no Rappi e muito mais.

4. Use conteúdo para atrair pessoas

Poucas são as lojas digitais e ecommerce que usam conteúdo para atrair os clientes. Isso é um erro grave, já que a produção de conteúdo é muito poderosa para atrair pessoas.

Por exemplo, imagine que sua loja venda varas de pesca. Você fez uma pesquisa no Google e descobriu que há um excelente volume de tráfego para palavras-chave como:

  • “comprar vara de pesca”;
  • “como escolher vara de pesca”;
  • “vara de pesca”
  • “varas para molinete”
  • “tipos de vara de pescar”

Com base nisso, você poderá montar uma Landing Page com uma listagem de todas as suas varas de pescar, mas também um longo conteúdo (mais de 3000 palavras) falando sobre varas de pescar, como escolhê-las e usando essas palavras-chave da lista. O resultado será que esse conteúdo receberá fluxo de tráfego de todas essas palavras e aumentará suas vendas e conversões.

Pronto! Agora você já sabe como vender no ecommerce usando SEO. Com essas dicas, você poderá usar uma arma que a maioria das lojas digitais não exploram. Isso mesmo: a maior parte dos ecommerces no país depende de a) ser famoso ou b) tráfego pago. São pouquíssimos os que exploram a ferramenta de tráfego orgânico do Google. Portanto, se você usar, sairá na frente da sua concorrência.

Gostou das dicas? Então comente abaixo com a sua opinião sobre o assunto!

Plano de marketing

5 dicas para definir o seu plano de marketing

O plano de marketing bem definido no seu negócio proporciona melhores resultados.

Afinal, é uma ferramenta de gestão que auxilia os empreendedores a se preparar para as possíveis mudanças no mercado, que, aliás, está cada vez mais competitivo.

Ao definir um plano de marketing para a sua empresa de vidros para ônibus, por exemplo, será possível estar atento às novidades, gerar vantagem competitiva e ainda superar os resultados.

Embora pareça não ser determinante para um bom desempenho da organização, é necessário estar preparado e obter o maior conhecimento possível para implementar essa ferramenta na sua empresa. 

Pensando nisso, preparamos este conteúdo para que você saiba como definir o seu plano de marketing com eficiência. Ficou interessado e quer saber mais sobre o assunto? Então, continue lendo e confira!

Plano de marketing

Afinal, o que é plano de marketing?

Antes de irmos às dicas, vamos te explicar um pouco mais sobre o que é plano de marketing.

Esse plano é caracterizado por ser utilizado nas empresas e pode ser em diferentes segmentos, até mesmo para instalação elétrica industrial.

Em resumo, a organização cria um documento com detalhes sobre suas estratégias relacionadas aos produtos e serviços antes de fazer a divulgação da marca.

Logo, é essencial para as empresas que visam o crescimento e competitividade no mercado. Uma vez que o plano de marketing bem definido proporciona realizar ações estratégicas com mais eficiência a fim de alcançar e superar os objetivos almejados. 

1. Entenda o propósito do seu negócio

Antes de tudo, é imprescindível entender qual o protocolo da sua empresa antes mesmo de começar o seu plano de marketing.

Uma empresa de destinação de resíduos, por exemplo, precisa oferecer soluções de contratações ideias para realizar o serviço. Esse é um dos serviços que a organização disponibiliza a fim de atender as necessidades dos clientes.

Dessa maneira, o seu negócio vai obter informações precisas para iniciar o plano de marketing com eficiência.

2. Saiba qual é o seu tipo de público

Entendeu o propósito do seu negócio no mercado? Chegou o momento de analisar o seu público-alvo.

Isso porque permite as estratégias de captação e vendas mais eficientes. Ao entender o tipo de consumidor que demonstra mais interesse em aderir os seus produtos e serviços, possibilita criar a sua persona (personagem fictício) relacionado a marca.

No entanto, é importante ter a atenção com o público-alvo, para isso, faça a pesquisa sobre a faixa etária, necessidades, hábitos, regiões e assim por diante. Lembre-se: quanto mais informações coletadas, melhor!

3. Realize a pesquisa de mercado

É de fundamental importância realizar a pesquisa de mercado para que o seu plano de marketing seja bem definido. Afinal, é preciso criar estratégias para superar o concorrente no mercado e agregar valor à marca, não é mesmo?

Sendo assim, analise como se você fosse um consumidor em busca dos serviços e produtos, logo, anote os pontos mais determinantes que levam os consumidores até a convergência e o que satisfaz. 

Tendo essas informações em mãos, é possível criar uma análise SWOT do seu próprio negócio e compará-los.

Dessa maneira, permite melhor entendimento sobre o comportamento dos consumidores e criar estratégias com base nessas informações e estudos. 

4. Estabelece as estratégias

Após entender o propósito do seu negócio, entender o tipo de público e analisar a concorrência, metas e objetivos definidos, chegou o momento de definir as estratégias a serem utilizadas no seu plano de marketing.

Para isso, é importante ter a noção das limitações da sua organização, mas é fundamental investir em inovação para que as estratégias de marketing sejam eficientes para alcançar os resultados almejados.

Com o avanço da tecnologia, muitas ferramentas de marketing passaram a ser usadas como aliadas das organizações.

Além disso, muitos consumidores e empresas estão inseridos no mundo virtual, como sites, comércio eletrônico e redes sociais. 

Portanto, algumas estratégias de marketing o que não pode faltar no seu plano é o inbound marketing, SEO e marketing de conteúdo

Com elas será possível atrair o público-alvo para o seu negócio, gerar visibilidade no mercado, agregar valor à marca, entre outras vantagens que proporcionam ficar à frente da concorrência e ainda gerar satisfação ao cliente.

5. Crie metas e objetos

Que as metas e os objetos são importantíssimos para guiar a organização, não restam dúvidas.

Após realizar a coleta dos dados necessários, crie metas e objetivos de acordo com o que seja possível de ser alcançado em determinado período com o seu plano de marketing.

Isso permite uma melhor organização, estabelece foco e gera resultados incríveis se forem seguidas todas as estratégias traçadas.

Portanto, estabeleça esses conceitos na sua empresa de acordo com o desempenho, superar a concorrência, garantir serviço de qualidade, aumentar a produtividade, captar mais clientes, entre outros.

Sem dúvida, ao definir o plano de marketing para o seu negócio, é possível manter a competitividade no mercado. 

Gostou do nosso post com as dicas para definir o seu plano de marketing? Conta pra gente!

Aprenda como aplicar o marketing digital e alavancar as vendas do seu negócio

O marketing sempre foi um setor muito importante para os negócios, é através dele que o público é atraído.

Quem nunca viu uma pessoa entregando um panfleto de restaurante? Exatamente, a entrega de panfletos é um serviço do marketing. 

Ao contrário do que se pensa, o marketing não se resume apenas à publicidade do produto.

Vai além disso, tudo o que envolve criar, por valor, distribuir, comunicar, agregar valor, suprir necessidades do consumidor e potencializar a experiência é também fazer uso dessa ferramenta.

Agora, com toda a tecnologia, novas estratégias de marketing têm sido utilizadas, estratégias que antes nem eram cogitadas hoje podem ser executadas. 

Na era da comunicação, tudo chega muito rápido, e na mesma medida que chega se vai também. 

A atenção de todos está nas telas de seus celulares. E nada melhor do que o seu comércio estar onde a atenção do seu consumidor está. 

O marketing digital veio exatamente para isso, buscar o seu consumidor da onde ele está, que normalmente é nas redes sociais, para a sua página.

Mas é claro que não podemos esquecer que a internet é como as empresas de coworking, onde é compartilhado um espaço com várias outras pessoas que não necessariamente estão no mesmo ramo ou empresa que você. 

E é exatamente por isso que ele tem o mesmo objetivo do marketing tradicional, ou seja, desenvolver, posicionar e promover empresas, produtos ou serviços. A diferença entre ambos é que o meio influencia na maneira como a mensagem é transmitida.

Funil de vendas

O marketing digital utiliza de um funil de vendas, pois nem todo usuário que tiver o contato com a marca irá realmente adquirir o produto. 

Para isso é analisada as 5 etapas do processo, que são: 

  1. Atrair visitantes;
  2. Converter visitantes em leads;
  3. Relacionar com leads e identificar oportunidades;
  4. Vender para as oportunidades;
  5. Analisar melhorias no processo

Mas para que tudo isso funcione é necessário que alguns passos sejam trilhados como os que serão apresentados agora. 

Conheça o mercado 

Para entrar no ramo de serviços de portaria em campinas, por exemplo, antes mesmo de fornecer o serviço é necessário fazer um estudo de onde está sendo aplicado o seu investimento. 

É importante conhecer a concorrência e seus consumidores, é importante saber o que eles fazem de diferente para que você possa inovar e não apresentar mais do mesmo e assim poder suprir as necessidades do consumidor. 

Ao saber o que irá fornecer é possível definir o seu público. 

Defina a sua persona 

Após o estudo de mercado é necessário estudar a sua persona. 

Persona é como é chamado o perfil do nosso consumidor.

É através dessa delimitação que saberemos quem é o seu público, o que ele gosta, o que não gosta, seu gênero e faixa etária.

Um exemplo,se você vende remédio para ajudar a dormir, logo, sua persona são pessoas com insônia. 

Com o perfil e produto definido conseguimos ir para a parte de divulgação 

Transmita credibilidade e posicione-se bem nos mecanismos de busca

Ao fazer a busca por um produto ou serviço, os mecanismos de buscas, como o google, bing, yahoo, etc, apresentam resultados de acordo com o que foi buscado. 

Os resultados apresentados na primeira página são aqueles que possuem mais relevância perante o público, essa classificação é feita visando a qualidade do conteúdo. 

Para que o seu site venha aparecer na primeira guia de busca é utilizado estratégias digitais, como criação de conteúdo (SEO) que o Google adora, e links patrocinados.

Entre essas técnicas é utilizado palavras-chave em conteúdos, que são linkadas a outro site ou até mesmo ao próprio site, elas normalmente têm relação com o texto e são empregadas no meio do conteúdo.

Um exemplo é o emprego da frase “película de vidro para carros” em um texto sobre compra de veículo. 

Faça conteúdos

Além da utilização de conteúdos para atrair o público através das palavras chaves. O conteúdo também serve para a qualificação de leads. 

Leads são usuários que preenchem o formulário para receber novidades do seu site ou blog. 

É através dos conteúdos produzidos que você vai mostrar a seriedade e os benefícios da sua empresa e seus serviços. 

Uma empresa de moldes plásticos fazer um conteúdo sobre sustentabilidade gera uma confiança do usuário na empresa, sendo assim, quando for adquirir o produto este será um dos pontos a ser analisados. 

Além disso, esse trabalho influencia diretamente o processo de estabelecimento da sua marca como autoridade do assunto. 

Não por acaso, ao escrever sobre o seu segmento de atuação, a marca passa a ser vista como referência na área, educando o mercado e ganhando ainda mais a confiança do consumidor.

Esteja nas redes sociais

Como dito, o olhar de todos está voltado para telas de computadores e redes sociais. 

Raramente encontramos alguém que não tenha nem uma rede social que seja, e é por isso que é importante para o seu negócio criar diversas contas em múltiplos canais e gerenciá-las com frequência.

Assim você poderá estimular seus seguidores a viralizarem os conteúdos postados nas páginas de sua empresa.

A estratégia de promoções e ações personalizadas são boas formas de conseguir esse nível de engajamento e aumentar suas vendas no médio prazo.

Fidelize seu cliente 

O seu cliente atual também deve ser estimulado, aliás é através dele que você é recomendado. 

Vamos lá, se você comprou um puxador de porta de vidro, por exemplo, numa loja e viu que o produto é de ótima qualidade, eles são atenciosos com você e toda novidade que chega sendo compatível ao seu perfil você é notificado, você não irá voltar mais vezes? 

Claro que sim e se alguém elogiar seu puxador você terá orgulho de dizer onde comprou e até recomendar seus amigos a ir lá. 

Por isso é importante trazer a melhor experiência ao seu consumidor. 

Monitore suas ações 

Outro ponto essencial para que você consiga, de fato, aumentar as vendas com o Marketing Digital é o monitoramento das suas ações. 

O trabalho é constante ao aplicar essas técnicas, sempre em busca de formas de otimizar o desempenho das suas campanhas e estratégias, evitando ações que não gerem resultados positivos.

Utilize a ferramenta certa

Cada processo do funil demanda um tipo de ferramenta digital a ser utilizada, para que assim consiga chegar ao final e conseguir conquistar sua venda e fazer a análise de investimento. 

Separamos algumas dessas ferramentas para cada processo, são elas: 

Atrair – Blog, SEO, videos, mídias sociais, publicidade do google, facebook, etc. 

Converter – landing page e formulários, pop-ups, materiais ricos( e-books, planilhas, etc).

Relacionar – Mídias sociais, whatsapp, chatbot, e-mail marketing e automação do marketing. 

Vender – qualificação de leads, CRM e sales engagement. 

Analisar – Google analytics, relatórios baseados em indicadores e análise de retorno do investimento. 

Agora é só colocar as dicas em prática e vender muito!

Conhecendo mais sobre o marketing digital, podemos ver que as estratégias utilizadas podem ser aplicadas de forma eficaz, trazendo resultados e lucratividade ao comércio. 

Assim como um analista de sinistro de uma seguradora tem que avaliar acidente de transito, avalie os resultados de sua empresa e aposte na melhor estratégia para alavancar as vendas de seu negócio. 

Como gerenciar processos na sua empresa com equipe remota

Gerenciar processos dentro da empresa, com toda a equipe à disposição, já é uma tarefa difícil. E quando vamos para o cenário atual então, onde o home office domina nas organizações? Com certeza parece uma atividade impossível de ser realizada com maestria.

Embora trabalhar de forma remota seja uma ótima maneira de economizar tempo e dinheiro, à primeira vista só vemos desvantagens no aspecto organizacional. De fato, fica complicado gerenciar tantas informações ao mesmo tempo, o que pode diminuir a rentabilidade da sua empresa.

Para a nossa sorte, esse problema já tem ótimas soluções. Aliás, não é de hoje que o trabalho remoto é realizado: ele existe há décadas.

Veja algumas dicas valiosas para gerenciar processos na sua empresa mesmo com toda a equipe em trabalho remoto.

Gerenciar processos requer ótima comunicação

Em algumas organizações, o trabalho remoto acontece por e-mails e mensagens de aplicativos. Embora seja uma alternativa, existem inúmeras desvantagens. Em uma empresa de porte médio-grande, por exemplo, são necessárias várias trocas de informações, o que gera centenas de e-mails por dia. Haja tempo para ler tudo isso, não é verdade?

Além disso, é muito fácil perder o andamento dos processos pelo uso de e-mails. Mesmo que esse problema seja solucionado, algumas métricas quantitativas não poderão ser coletadas. Ou seja, há problemas graves nessa técnica.

Por mais que seja um desafio implementar a comunicação no home office, é preciso ter em mente que ela é um pilar importante para o seu fluxo de trabalho.

Você precisa se questionar se é melhor realizar a comunicação por e-mails ou via videoconferência? Será que é legal realizar uma chamada para toda e qualquer pequena dúvida durante o trabalho? Ambas são perguntas importantes. Em conclusão, busque adaptar uma forma de comunicação que seja rápida, prática e simples. A solução varia de acordo com cada caso.

Tenha acesso rápido a todos os processos que estão acontecendo

Um dos principais desafios do trabalho remoto é a dificuldade de saber, com precisão, sobre o acompanhamento das tarefas. Aliás, mesmo que a comunicação esteja implementada de forma assertiva, esse problema ainda será sentido.

Uma forma de contornar essa dificuldade é recorrer à tecnologia, como armazenamento na nuvem, que pode ser utilizado para compartilhar os processos, o que garante  acesso rápido e ao mesmo tempo. 

No entanto, mesmo assim alguns erros podem ocorrer, ou seja, não é algo 100% garantido e eficiente. Outro ponto importante é a quantidade de arquivos que serão usados. Por ser um serviço prestado para empresa, será necessário assinar pacotes para desfrutar de todos os benefícios da ferramenta. Algumas delas podem sair caro. Outro ponto importante é a segurança de informações no home office, que essas plataformas em nuvem podem não oferecer.

Documente cada etapa durante a produção

Ter o registro de cada etapa concluída ajuda bastante na hora de gerenciar processos. A razão disso é simples: seus colaboradores evitam o embaraçoso ato de retrabalho. Acredite: isso é mais comum do que parece dentro das empresas.

Uma ferramenta interessante é o Excel. Você pode criar uma planilha específica para essa atividade. Dessa forma, assim que uma nova etapa for concluída, basta marcá-la na planilha.

Um dos problemas com isso é que, conforme o tempo for passando, o acúmulo de atividades será imenso. Além disso, em uma organização com muitos colaboradores, é humanamente impossível manter o registro de tudo com precisão.

Treine a equipe para o uso adequado das ferramentas

Não tem como chegar na empresa e obrigar todo mundo a usar uma nova tecnologia. Mesmo que seus colaboradores sejam rápidos em aprender, eles ainda vão levar semanas para dominar as novas ferramentas.

Trabalhar com uma equipe remota que não compreende todas as potencialidades das ferramentas significa perder oportunidades. 

Pense nas dúvidas que vão surgir, no mau uso das ferramentas e nas gambiarras que os colaboradores vão fazer. Tudo isso leva tempo para ser solucionado; o problema é que tempo é dinheiro.

Dê espaço para que todos da equipe tenham voz

Um dos pontos essenciais para gerenciar processos com maestria é dar voz para todos os integrantes da equipe. Dessa forma, cada um deles poderá contribuir de acordo com sua especialidade. Até mesmo sugestões para melhorar a gestão do trabalho podem aparecer.

A ideia principal é fazer com que os membros da equipe se sintam como no escritório. Ou seja, mesmo distantes eles devem ter a liberdade de conversar com os colegas de equipe, caso seja necessário.

Gerenciar processos requer uma ferramenta específica

Como ficou claro ao longo do texto, você precisa de vários programas para conseguir gerenciar processos na empresa — e ainda terá dificuldades.

No entanto, deixamos o melhor para o final: você pode contar com uma ferramenta específica para essa atividade; elas são chamadas de gerenciadores de tarefas.

Com valores de anuidade que cabem no bolso, você garante uma ótima comunicação com a equipe, anexa arquivos importantes, sabe exatamente sobre o fluxo de trabalho, documenta todas as etapas e ainda recebe relatórios sofisticados.

Essas ferramentas são tão avançadas que podem ser usadas no computador, tablet e até no celular. O melhor de tudo é que você obtém todos os benefícios e só paga por uma ferramenta.

Com certeza sua empresa terá ótimos resultados ao adotar essa tecnologia para gerenciar processos!

Como elevar a sua estratégia de marketing

O marketing digital nunca esteve tão em alta como nos dias de hoje. Afinal de contas, ele se baseia em um conjunto de estratégias e ações que podem contribuir para que uma empresa se torne mais visível no mercado, consiga segmentar o seu público com precisão e, como resultado, se desenvolva de maneira sustentável no mercado.

Ou seja, hoje em dia, o marketing digital é, sem dúvidas, um dos processos que mais podem gerar retorno dentro das estratégias de uma empresa.

Um negócio que não investe em marketing digital dificilmente vai permanecer ativo no mercado. E isso vale tanto para para comércios, indústrias de filtro de ar, construtoras, entre outras.

Além disso, o marketing digital também possui um ótimo custo-benefício, em comparação com outras estratégias de marketing tradicional.

Sendo assim, o aumento das vendas e da competitividade é uma consequência natural de quem aposta no marketing digital. Mas, afinal de contas, como é possível fazer um bom planejamento e entender como elevar as suas estratégias de marketing?

Pensando nisso, nós preparamos este post e vamos te auxiliar com uma lista de estratégias que podem elevar as suas ações de marketing!

Continue nas próximas linhas e veja que nunca foi tão fácil alcançar bons resultados. Continue lendo e confira!

1. Esteja presente nas redes sociais 

Uma questão de prioridade para as empresas que querem alcançar o sucesso são as redes sociais.

Por sua vez, as redes sociais são plataformas online e poderosas para que uma empresa consiga ter um relacionamento direto e interativo com o seu público, isso além de compartilhar conteúdos e gerar mais tráfego.

Por meio das redes sociais, com elas, marcas e empresas podem construir um relacionamento positivo e duradouro com o público, isso sem falar na possibilidade de promover de maneira segmentada produtos e serviços. 

Ou seja, em resumo, as redes sociais são ferramentas de relacionamento com os clientes. As vendas, por sua vez, são consequências da construção desta relação.

Sendo assim, apostar nas redes sociais uma excelente alternativa para elevar a sua estratégia de marketing.

2. Otimize as suas páginas 

Outra maneira de ter sucesso no marketing do seu negócio é com a otimização das suas páginas. É verdade que mecanismos como o Google vêm passando por uma série de atualizações nos últimos anos.

Cada vez mais, esses buscadores prezam pela eficiência e responsividade das páginas – ou seja, que se adaptem a diversos formatos de tela. 

Por essa razão, a otimização de páginas é essencial para que uma empresa se torne mais visível para seu público e alcance os melhores resultados de busca.

Para otimizar as suas páginas, uma dica é apostar nas estratégias de SEO. Coloque as palavras-chave do seu negócio em evidência, como ”porca gaiola”, entre outros. O SEO é uma das ações mais eficientes para fazer com que você alcance mais clientes e tenha mais tráfego em suas redes sociais, blog, site, entre outros.

3. Marketing de conteúdo

Outra das maiores estratégias para elevar o marketing da sua empresa é o marketing de conteúdo.

Por sua vez, ele se trata da produção de materiais ricos e relevantes, destinados a um público-alvo.

Se você atua com descarte de eletrônicos, por exemplo, com o marketing de conteúdo, é possível importante para aumentar as vendas e fazer com que o público confie mais na sua marca, uma vez que transmite credibilidade e autoridade nos assuntos do seu ramo.

Além disso, quanto maior for a quantidade de conteúdos relevantes que você oferecer para o seu público, maiores as chances do mesmo conhecer e se interessar de maneira positivamente a sua marca no mercado.

4. Aposte em anúncios pagos

Já não é mais novidade que os anúncios pagos são ótimas oportunidades de encontrar seus clientes de maneira segmentada.

Basicamente, os anúncios pagos são anúncios do seu site ou conteúdo incluído nos mecanismos de pesquisa ou até mesmo em sites diversos.

Por meio dos anúncios pagos, é possível encontrar pessoas realmente interessadas em comprar seus produtos e serviços.

Em geral, os anúncios patrocinados são uma forma de encontrar leads qualificados, ou seja, que estão no momento de decisão de compra. Além disso, essa estratégia também possui diversas vantagens, veja alguma delas abaixo:

  • Aumenta o tráfego do site;
  • Gera publicidade a marca;
  • Fornece informações precisas sobre os concorrentes;
  • Destaca o seu empreendimento no ramo dos negócios.

Com essas dicas, é possível elevar a sua estratégia de marketing digital e alcançar mais clientes para o seu negócio, tudo isso além de obter credibilidade notoriedade por parte dos seus leads e clientes.

Agora que você já sabe como é possível elevar sua estratégia de marketing digital, o que acha de seguir essas dicas e ter sucesso? Gostou do nosso post?

5 tendências de tecnologia que você precisa saber

Já não é mais novidade que a indústria 4.0 conseguiu trazer uma série de benefícios e vantagens para as empresas. Afinal de contas, ela revolucionou o atual mercado, gerou fábricas mais inteligentes e capazes de reduzir a mão-de-obra.

Nos dias de hoje, as empresas podem ser mais produtivas em seus processos e eficientes com suas novas tecnologias!

É possível até mesmo elaborar campanhas de marketing de maneira mais precisa e aumentar a satisfação e colaboradores com a tecnologia! Mas, afinal de contas, o que é a indústria 4.0?

De maneira básica, também conhecida como Quarta Revolução Industrial, a indústria 4.0 se baseia no processo de integração dos dispositivos físicos e virtuais.

Além disso, ela também otimiza a rotina produtiva, estrategista e administrativa de uma empresa por meio de ferramentas e performances.

Uma empresa de racks para servidor que está com dificuldade de encontrar novos clientes, por exemplo, pode usar o Big Data ou o CRM para entender mais sobre o comportamento do seu público, e assim, elaborar estratégias mais qualificadas.

Ou seja, estamos vivendo um momento de revoluções, movida por inúmeras tecnologias que revolucionaram o mercado, como a inteligência artificial, internet das coisas, automação industrial, aperfeiçoamento de processos, entre outros. 

Pensando nisso, nós elaboramos este post e vamos te mostrar algumas das maiores tendências de tecnologia que você precisa saber.

Nas próximas linhas, você saberá quais são as maiores tecnologias que podem alavancar o seu negócio. Quer saber mais sobre o assunto? Continue lendo!

1. Robôs autônomos

Os robôs autônomos são uma das tecnologias mais revolucionárias até os dias de hoje. Você já ouviu falar sobre eles?

Um robô autônomo tem como objetivo executar tarefas que exigem precisão, força e um número maior de repetição.

Em resumo, eles possuem a capacidade de aprender com os seres humanos, melhorando continuamente os procedimentos por meio do sistema de inteligência artificial (vamos falar mais sobre ao longo do post).

Além disso, vale ressaltar que eles são econômicos e podem tanto ser utilizados em áreas operacionais, como também como sistemas para otimizar as estratégias de marketing.

2. Internet das Coisas (IoT)

É fato: a Internet das Coisas é outra tecnologia que vem revolucionado o nosso mercado. Por meio dela, é possível integrar diversos sistemas por meio de uma rede.

Dessa maneira, uma empresa pode ter máquinas e dispositivos integrados à internet e trabalhando de forma autônoma!

A Internet das Coisas possui a ideia de que máquinas e equipamentos podem se conectar à uma rede.

Por exemplo: enquanto uma indústria íntegra as suas máquinas nas linhas de produção, uma agência de marketing pode integrar diversos sistemas em seu website e aperfeiçoar a experiência dos clientes!

Também vale destacar que a IoT contribui grandemente para que um empreendedor tenha mais facilidade em tomar decisões e coletar informações sobre o seu negócio, por exemplo. 

3. Big Data Analytics 

O Big Data é um sistema responsável por armazenar e gerenciar uma grande quantidade de dados e informações. Essa ferramenta é extremamente útil para aquelas empresas que querem as informações do seu negócio à disposição em qualquer hora e momento.

Com o Big Data, é possível analisar novas tendências do mercado, conhecer o seu público-alvo, monitorar a concorrência, entre outras possibilidades.

Basicamente, o Big Data Analytics é um programa relativamente novo no mercado, mas mesmo assim, ele já é uma realidade presente em boa parte das empresas.

Por meio dele, uma empresa de dobra de chapa pode coletar e analisar dados de várias fontes, como produção, marketing, finanças, segurança, entre outros. 

4. Inteligência artificial

A inteligência artificial, também conhecida apenas como IA, possui a proposta de desenvolver mecanismos que façam uma série de tarefas automatizadas.

De outra forma, essa tecnologia tem como objetivo implementar e desenvolver dispositivos que podem realizar uma série de tarefas sem a necessidade de intervenção humana.

Para a maioria dos negócios, a inteligência artificial se tornou uma das revoluções mais queridas e requisitadas.

Afinal de contas, a partir dela, é possível otimizar processos e também oferecer uma experiência mais satisfatória aos clientes.

Um grande exemplo de sistema que utiliza a IA é o Chatbot, um software que transmite mensagens de forma programada, com o objetivo de solucionar dúvidas, interagir, entre outros.

5. Realidade virtual

A realidade virtual é uma nova tecnologia com a finalidade de transformar os horizontes e as imagens de quem o utiliza.

Basicamente, com a realidade virtual uma empresa de motor elétrico usado pode desenvolver novas formas de interagir com seus clientes, tornando seu formato de conteúdo muito mais inovador e chamativo

Com a realidade virtual, um cliente pode consegue vivenciar situações de forma mais dinâmica. Isso contribui para o aumento nas chances de vendas, por exemplo.

Gostou do nosso post sobre tendências tecnológicas para empresas? Então, compartilhe com os colegas e deixe o seu comentário!

Entenda a mudança de comportamento dos consumidores

Para que qualquer empresa cresça com sustentabilidade e se desenvolva, é extremamente importante atingir um alvo: conquistar o cliente.

No entanto, alcançar esse objetivo se tornou um grande desafio. Afinal de contas, o comportamento dos consumidores mudou drasticamente desde a popularização da transformação digital e dos avanços tecnológicos.

Com a tecnologia como parte da rotina, além da expansão das opções oferecidas mercado atual, ganhar espaço no mercado se tornou um processo ainda mais complexo para os empreendedores.

Com isso, podemos dizer que o consumidor do século XXI está em constante mudança, e para que uma empresa consiga entendê-lo, é essencial acompanhar o mercado e criar as condições necessárias para o seu crescimento.

Para entendermos melhor, imagine que você tenha uma loja de quiosque de madeira: se a preferência do público-alvo mudar, a empresa também deverá mudar os produtos ofertados, assim como as suas estratégias empresariais.

Ou seja, garantir um bom conhecimento do se público-alvo diante dos cenários atuais é o que poderá garantir uma boa atuação do seu negócio no mercado!

E é sobre esse tema que vamos conversar neste post. Abaixo, você irá entender mais sobre a mudança de comportamento dos consumidores, o que é essencial para que o seu negócio possa abordá-lo e garantir o sucesso.

Quer saber mais sobre tudo isso? Então não deixe de nos acompanhar neste post! Vamos lá?

1- O consumidor está mais conectado

Uma das mudanças mais visíveis em relação ao comportamento dos consumidores foi a chegada dos smartphones e da internet.

Nos dias de hoje, o chamado “consumidor 2.0” costuma pesquisar, perguntar, comparar e analisar os benefícios antes de realizar uma determinada compra.

Além disso, ele também acompanha todos os processos de venda de uma empresa, o atendimento e, inclusive, pode fazer reclamações com apenas alguns toques na tela do seu smartphone.

Ou seja, os consumidores estão cada vez mais conectados. E para que uma empresa consiga atingi-los, é importante estabelecer canais por meio dos quais ele consiga se conectar à empresa.

2- O consumidor tem pleno acesso à informação

Hoje em dia, para um vendedor ser considerado experiente e eficiente, não adianta mais ser “bom de lábia” ou “falante”, como era as principais vantagens desse profissional há algumas décadas.

Mas sim, o cenário é completamente diferente. Com a chegada constante de informação, os consumidores passaram a ter um bom conhecimento acerca dos produtos e serviços que pretendem comprar.

Se um determinado cliente deseja comprar ímã de neodímio, por exemplo, ao invés de ter as informações do produto com fornecedores ou vendedores, ele irá recorrer à internet e analisar a criação dos conteúdos e informações do mesmo.

Com uma simples busca, ele não só obtém as informações disponibilizadas pelos fabricantes, como também recomendações de outros consumidores, resenhas, reclamações, e por aí vai.

3- O consumidor é crítico e seletivo

Em complemento com os tópicos anteriores, com a maior acessibilidade à internet e às informações, o consumidor também se tornou mais crítico e seletivo.

Ou seja, mesmo antes de comprar determinado produto ou serviço, ele poderá ter uma pré-opinião formada, e encontrar com mais facilidade as qualidades que procura em uma oferta.

É por essa razão que, para que uma empresa se destaque no mercado, ela precisa focar em entender e solucionar as necessidades e dores do cliente.

Afinal, ele já tem certeza do que quer, e precisa de auxílio para que o processo de compra tenha um bom atendimento e personalização. Desse modo, é possível fazer com que o consumidor fique satisfeito e se torne fiel a marca.

4- O consumidor gosta de exclusividade 

Durante muito tempo, os clientes foram suscetíveis às estratégias de comunicação padrão e em massa de marketing. Isso incluir ações de publicidade em televisão, revistas, e-mail em massa, entre outros.

E claro, isso também mudou completamente. Além de muitas estratégias em massa perderem a sua eficácia, os consumidores estão cada vez mais se interessando por ações em que a exclusividade e personalização estejam inclusa.

Um e-mail personalizado com o nome do cliente, ou o oferecimento de um desconto exclusivo por participação em alguma pesquisa são exemplo de estratégias que chamam atenção e focam no cliente, por exemplo.

4- O consumidor é interativo

Por fim e não menos importante, o consumidor também passou a gostar e estar disposto a interagir com a empresa, disponibilizar feedbacks valiosos e ampliar o relacionamento.

Isso é um grande auxílio para a organização que foca nos clientes. Se você tem uma empresa de descarte de eletrônicos, por exemplo, é possível ajustar as suas estratégias sempre que possível para satisfazer os consumidores e proporcionar uma melhor experiência.

A empresa precisa sempre estar preparada para receber o cliente, seja pelas redes sociais, e-mail, telefone, chat bot, entre outros.

Agora que você sabe quais foram as principais mudanças de comportamento dos consumidores, o que acha de se preparar para as próximas tendências e ter sucesso?

Tráfego orgânico x tráfego pago: devo investir em qual estratégia?

Se você já faz uso de estratégias de marketing digital, certamente você já deve ter encontrado vários tipos de canais de aquisição, não é mesmo? Estes canais são a principal forma de fazer com que o seu site tenha tráfego.

De forma resumida, cada canal é como se fosse um caminho no qual o seu consumidor trilha até chegar em sua página online. Eles ficam subdivididos em dois modos, o tráfego orgânico e o pago. 

Mas qual canal é o mais indicado para o meu negócio? 

Existem algumas diferenciações a respeito de cada canal e por isso, neste artigo vamos detalhar cada uma dessas diferenças e te ajudar a escolher em qual das opções investir. Continue a leitura! 

Conhecendo o tráfego orgânico

O tráfego orgânico é a maneira de ter um bom posicionamento através da otimização de conteúdo, como por exemplo, as técnicas de SEO. 

Sabe aqueles links nos resultados de busca que são divulgados logo após os anúncios? Então, estes são os resultados orgânicos de uma pesquisa.

Vamos supor que uma pessoa está em busca de orçamentos de plano dental empresarial. Ao pesquisar por “plano odontológico empresarial preços”, além dos anúncios que aparecem no topo, estão também as publicações orgânicas, ou seja, que estão posicionadas na primeira página sem pagar por isso.

Cada uma dessas postagens conseguiram este ranqueamento de maneira gratuita – claro que há um gasto de tempo e de mão de obra, mas não pagaram efetivamente para estar lá. 

Para estar entre os primeiros links é preciso obedecer algumas normas de SEO como hierarquização de títulos e subtítulos, o uso de palavras-chave e a maneira em que o conteúdo está sendo disponibilizado. 

Os buscadores priorizam o que deixam em destaque a partir de uma filtragem de todos os conteúdos parecidos. Aqueles que são mais completos, originais e informativos são os que ficam na primeira página e consequentemente, têm mais tráfego. 

A opção de criar conteúdo para posicionar organicamente é muito utilizada por aquelas pessoas que podem esperar um tempo maior e também, se preocupam com a credibilidade de sua empresa. 

Uma vez que estar entre os principais resultados de busca, através do tráfego orgânico, o usuário irá perceber que tem algo de diferente no seu conteúdo.

As principais diferenças

  • Maior credibilidade;
  • Estratégia com resultados de médio a longo prazo;
  • Informações completas;
  • Utiliza técnicas de posicionamento;
  • Não requer investimento constante; 

E o tráfego pago, como funciona? 

Lembra daqueles anúncios que comentamos anteriormente? Estas publicações recebem um investimento da empresa para que os seus conteúdos apareçam em destaque, logo no topo. 

O tráfego pago pode ser feito tanto nos buscadores, quanto nas redes sociais. Sabemos que a palavra investimento pode assustar um pouco, porém, é mais fácil do que se imagina. 

Vamos supor que você possui uma empresa de venda de convênios odontológicos. Para criar um anúncio sobre a sua empresa, você pode criar links curtos com títulos que fazem uso de palavras-chave utilizadas pela sua persona como por exemplo plano odonto empresa.

Outra maneira de colocar o anúncio pago em ação é através de publicações segmentadas nas redes sociais, assim você atinge o seu público de forma mais assertiva. 


Além do que, você estipula o valor que está disposto(a) a pagar e a cada clique, um valor é debitado. Dessa forma, você pode criar orçamentos semanais ou mensais e assim, sempre os seus conteúdos irão estar em destaque. 

Os diferenciais

  • Alcance maior;
  • Resultados mais imediatos;
  • Possibilidade de segmentação de público;
  • Investimento constante.

Às vezes, algumas pessoas têm receio de usar dessa estratégia e acabar gerando uma má impressão. Para evitar esses possíveis problemas, é preciso estruturar um planejamento de publicação que dê naturalidade ao anúncio. 

Existem outros tipos de tráfego?

Sim! Ao contrário do que muitos empreendedores imaginam, há outras modalidades de tráfego que devem ser levadas em consideração no momento de definir a sua estratégia de marketing digital.

Ou seja, apesar do tráfego orgânico e o tráfego pago serem os mais conhecidos, eles não são os únicos.

Uma empresa de bucha de nylon pode tanto usar estratégias de tráfego orgânico, quanto outras modalidades para aperfeiçoar seus resultados. Abaixo, veja alguns exemplos de outros formatos de tráfego com mais detalhes:

  • Tráfego de referência: ocorre quando um usuário é redirecionado para o seu site por meio de um link de outro site.
  • Tráfego direto: de forma básica, é quando uma pessoa escreve diretamente a URL do seu site no navegador.
  • Tráfego social: é o tráfego gerado por pessoas que visitam o seu website por meio das redes sociais.
  • Tráfego de e-mail marketing: é uma modalidade de tráfego adquirido por meio de mensagens que chegam à caixa de entrada dos visitantes. Se você tem um site de relógio de ponto digital, um visitante pode encontrar a sua página por meio de um e-mail.

Tráfego orgânico x tráfego pago: em qual eu devo investir? 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre os dois tipos de tráfego, certamente você percebeu que ambos possuem um certo custo.

A mídia paga depende do investimento nos anúncios e a orgânica, precisa de um investimento na alta produção de conteúdos para que haja uma boa audiência. 

Para um resultado mais efetivo, o ideal é fazer um mix dos dois. Dessa forma, será possível atingir um número ainda maior. 

Mas, se você atua com locação de gerador de energia, por exemplo, caso você queira decidir entre um dos dois, existem alguns pontos para considerar: 

  • O tempo que você têm;
  • O orçamento disponível;
  • As principais metas;
  • Qual o comportamento do seu consumidor. 

Analisando esses tópicos será possível decifrar qual a melhor estratégia para o momento. É válido ressaltar que você também pode intercalar o uso de cada uma. 

Por exemplo, você pode começar de forma orgânica e depois migrar para a paga ou então, fazer o caminho inverso. Tudo é uma questão de testes. 

O importante é que você produza um bom conteúdo e disponibilize informação de qualidade. Afinal, mais importante do que ser visto, é ter uma boa aceitação.

Estude, planeje e coloque em prática para que assim, você consiga obter um bom alcance e assim, gerar mais conversões para o seu negócio.

Marketing de conteúdo e a área da saúde

O marketing está evoluindo com o passar dos anos, a cada fase do marketing ele oferece mais estratégias para que as empresas possam se destacar no mercado, e isso não é diferente com a área da saúde

A internet se tornou essencial no mundo profissional, todas as áreas de atuação precisam da internet para fazer o seu negócio crescer e isso inclui a área da saúde. 

Criar conteúdos relevantes e informativos para os meios digitais está sendo a chave para dominar a internet e se destacar entre os concorrentes.

Se antes o marketing era apenas para empresas que contavam com um segmento de vendas, agora tornou-se essencial para todos os segmentos, inclusive o da saúde.

No entanto, não basta apenas fazer propaganda da sua empresa, as pessoas não querem mais apenas o produto ou serviço de determinada marca; agora elas querem saber o que a empresa oferece além disso.

O marketing de conteúdo ajuda as empresas a educarem o mercado e a aproximar a marca do consumidor. 

Por exemplo, você pode postar conteúdos relevantes e informativos que vão mostrar para o seu público que a sua empresa tem domínio sobre aquele assunto e que ele pode confiar na sua marca.

O marketing de conteúdo não é focado nas vendas, por mais que a estratégia possa resultar em aumentar as vendas da empresa, mas em gerar leads por meio de conteúdos relevantes solucionando o problema do consumidor.

Marketing de conteúdo

Para entender melhor, vamos explicar o conceito do marketing de conteúdo.

O marketing de conteúdo não é focado em promover a marca, o intuito dele é atrair potenciais clientes por meio de conteúdos relevantes e informativos.

O intuito é que a empresa possa produzir conteúdos que vão solucionar o problema do seu público, respondendo perguntas que eles fazem frequentemente e mostrando que ele pode trazer a solução para o que está buscando e que tem domínio sobre aquele assunto.

É uma forma também de aproximar a marca do consumidor. Esse ponto é muito importante, porque o quanto mais o consumidor se sentir próximo daquela marca, mais ele vai sentir  confiança de fechar a compra.

O mesmo acontece na área da saúde, quando uma clínica de odontologia, por exemplo, produz conteúdos sobre implante dentário respondendo dúvidas, dando dicas e informações sobre o que o paciente têm que considerar na hora de tomar a decisão ela vai mostrar que tem entendimento e isso passa confiança também.

São essas pequenas ações que fazem as marcas se destacarem no mercado, o marketing de conteúdo ajuda a aumentar a visibilidade na internet e com isso alcançar um público maior.

E além de produzir conteúdos relevantes, existem vários formatos que você pode utilizar para divulgar os seus conteúdos. Alguns são:

  • Blogs;
  • Landing Page;
  • E-book;
  • Webinar;
  • Podcast;
  • Cases de clientes;
  • Redes sociais;
  • Infográfico; 
  • E-mail marketing;
  • Newsletter. 

 

Para definir quais meios usar na sua estratégia é preciso saber onde o seu público está e se a ferramenta escolhida vai realmente atingir o seu público.

Mas para entender melhor como funciona o planejamento de marketing de conteúdo, vamos falar como você pode montar a sua estratégia.

 

Como criar uma estratégia de Marketing de Conteúdo

Agora que sabemos o que é e o porquê preciso dessa estratégia, vamos ver como montar o planejamento de marketing de conteúdo e colocar em ação.

Para fazer o planejamento não tem diferença entre o segmento da saúde e os demais segmentos, a ordem é a mesma, o que muda é forma como será feita e a sua aplicação.

 

Objetivo da estratégia

O primeiro passo é saber deixar claro o objetivo da empresa e onde a empresa quer chegar com essa estratégia.

Por exemplo, uma clínica de médica quer atrair mais pacientes e aumentar a sua visibilidade no mercado.

Persona

Com o objetivo fechado, é hora de definir a sua persona.

Persona é um personagem semi-fictício que representa o cliente ideal da empresa.

Através de estudos com os próprios clientes, a marca vai criar um perfil de uma personagem, com os gostos, preferências, hábitos, necessidades e o problema daquele personagem.

É a hora de você explorar os clientes da sua empresa e descobrir tudo, com isso você consegue traçar um público certo que você vai direcionar os seus conteúdos.

Por exemplo, a persona de uma clínica de odontologia pode ser uma pessoa que usa aparelho ortodôntico, que se preocupa com a saúde bucal e sempre está pesquisando sobre dicas e cuidados da boca.

Quanto mais detalhada a persona, melhor será na hora de criar a sua estratégia.

 

Tipo de conteúdo

Com as duas primeiras informações estabelecidas você vai definir as pautas dos seus conteúdos.

Não adianta focar em vários assuntos, mesmo que a sua clínica atenda a diversas áreas da saúde; isso pode confundir um pouco o seu blog por exemplo.

Tente seguir uma linha de raciocínio e onde você tem mais domínio e além disso, pense na necessidade do seu consumidor.

A intenção é que os conteúdos sejam respostas para o que as pessoas estão procurando na internet, então não vai fazer sentido você falar sobre extração de dente sendo que o seu público procura sobre tratamento de canal preço, você não vai atingir o seu público e nem ganhar a visibilidade que está buscando.

O conteúdo deve ser informativo, relevante e dar dicas para o leitor. Ele deve solucionar o problema do cliente e educar o mercado.

Educar o mercado é você produzir conteúdos que poucas pessoas conhecem, ou por exemplo, uma clínica de fisioterapia produz conteúdos sobre os benefícios que a fisioterapia pode oferecer às pessoas. É um assunto que poucos conhecem e vai educar o mercado, agregando conhecimento e dominando aquela área através dos materiais produzidos.

 

Distribuição

Agora que você estabeleceu as pautas, é hora de decidir onde você vai divulgar esses conteúdos.

Aqui nessa parte é importante ter a mente aberta; não subestime meios que você nunca usou, o seu público pode estar lá.

É uma ótima opção explorar as ferramentas que você tem nas mãos e pesquisar mais sobre cada uma delas.

Claro, vale ressaltar que aqui você deve levar a sua persona em conta e saber onde que o seu público está.

Não adianta você criar uma conta no Twitter e o seu público apenas usar o Facebook, por exemplo; você deve ficar atento a essas pequenas questões. 

 

Mensuração de resultados

Mensurar os resultados apenas vai ser possível depois de um tempo que a sua estratégia estiver em ação.

Você pode ter montado a melhor estratégia de marketing conteúdo. Na sua visão ela será um sucesso, mas nem sempre sai como o esperado.

Aqui é onde você vai analisar se os objetivos da sua empresa estão sendo alcançados e você está tendo um bom resultado.

Se seu objetivo era atrair mais pacientes e em 2 meses usando essa estratégia e conseguiu mais 5 pacientes, você precisar reavaliar a sua estratégia e ver o que pode mudar para melhorar e trazer mais resultados.

Vale a pena ressaltar para tomar cuidado com os números, porque se você considerar número de curtidas no Facebook como resultado nem sempre você vai pelo caminho certo. Afinal, você pode ter 10 mil curtidas no facebook mas o que realmente compraram algum serviço da sua clínica foram 5 pessoas.

 

Marketing de Conteúdo e a área da saúde

Com tudo isso que conferimos anteriormente, pudemos ver que os profissionais da área da saúde podem sim utilizar as técnicas de marketing. 

Uma boa estratégia poderá aumentar a visibilidade de clínicas que estão começando agora ou consultórios pequenos que têm pouca visibilidade dependendo do bairro onde está.

O importante aqui não é a estratégia em si, mas como você vai usar ela ao seu favor. Afinal, existem muitos segmentos da saúde que poucos pessoas conhecem, como procedimentos estéticos que os dentistas podem fazer.

Com o marketing de conteúdo, os profissionais podem compartilhar os seus conhecimentos, mostrar para as pessoas como a área da saúde abrange tudo e sempre vem inovando.

Principalmente no momento em que o país está passando, durante a pandemia, é uma ótima forma para os profissionais que têm clínicas pequenas se destacarem sem sair de casa.

A tecnologia está avançando e os profissionais que estão avançando junto com ela têm ganhando o seu espaço no mercado, além de se destacarem entre os seus concorrentes.

Não fique apenas nesse conteúdo, pesquise mais sobre o assunto e as outras estratégias de marketing que você pode utilizar no seu negócio.

Como saber se estou usando as métricas certas?

Para saber se a sua estratégia de marketing está dando certa você precisa de métricas.

Não adianta todo um planejamento estratégico de marketing, várias ações em redes sociais, blogs, sites se não sabe se essas ações estão realmente funcionando ou está dando algum retorno.

O erro de muitas empresas é não definir as métricas que vão acompanhar e achar que número de seguidores e curtidas significa que a sua estratégia está boa.

Precisamos acompanhar métricas reais, que mostrem o retorno que estamos tendo, como leads, compartilhamentos, a visibilidade, se estamos realmente alcançando um público maior.

Neste conteúdo vamos falar sobre: 

  • O que são métricas;
  • Como definir as métricas para a minha estratégia;
  • O que são métricas de vaidade e como fugir delas.

 

O que são métricas?

Métricas são um conjunto de dados que medem os resultados da sua estratégia, servem para quantificar informações e avaliar o desempenho de cada estratégia.

Acompanhar os resultados é extremamente importante para saber se a sua estratégia está dando certo ou se precisa mudar alguma coisa, assim você terá resultados reais.

Hoje temos diversas ferramentas que captam e organizam em dashboards automaticamente. Porém, são várias informações que podem dificultar na hora de analisar os resultados.

As ferramentas apenas vão organizar as informações, você que precisa definir o que é realmente importante e precisa ser acompanhada.

Mas não se preocupe, vamos te ajudar a entender melhor essa estratégia.

Para saber como definir as métricas certas, continue lendo.

Como definir as métricas para a minha estratégia

Quando colocamos em prática uma estratégia de marketing precisamos saber se realmente está respondendo às expectativas e os objetivos que foram definidos.

Antes de definir as métricas que você vai usar na sua estratégia, precisa definir o objetivo da sua campanha, quando isso estiver bem definido você vai conseguir ter uma visão melhor de quais métricas precisa acompanhar realmente.

Definindo os objetivos

Quando fazemos um planejamento estratégico precisamos de um objetivo, senão como vamos saber se realmente estamos tendo sucesso e atingindo o público certo?

Veja alguns exemplos de objetivos:

Aumentar o engajamento da marca

Esse objetivo é sobre o relacionamento da marca com o seu consumidor. 

São ações que farão a marca se aproximar do consumidor e que o consumidor tenha uma confiança na marca que vai compartilhar e interagir com os seus conteúdos.

Aumentar o Brand Awareness (reconhecimento da marca)

Esse objetivo é fazer com que as pessoas lembrem da sua marca no momento da compra do produto ou serviço.

Por exemplo, uma pessoa quer colocar um aparelho invisível e no momento que ela pensa sobre isso ela lembra do seu consultório.

Por meio de ações de brand awareness o consumidor irá considerar o seu produto ou serviço na decisão dele.

Educar o Mercado

Educar o mercado é quando uma empresa tem um serviço inovador ou complexo, para que ela possa se destacar e chamar atenção do público ela precisa educar o mercado. Mas como fazer isso?

Com criação de conteúdos relevantes, informativos, dicas de como usar ou porque usar e etc.

Essa opção pode ser utilizada pelos segmentos de informática, quando lançam algum software novo, sistemas de gestão, pelas áreas da saúde também, quando tem um tratamento ou procedimento novo ou clínicas odontológicas.

A área de odontologia muitas vezes é complexa e tem várias procedimentos que não são conhecidos, como por exemplo lente de contato, poucos sabem sobre isso, é um conteúdo que pode chamar atenção das pessoas que cuidam da estética.

Aumentar o lifetime-value

Quando uma empresa oferece um produto ou serviço que são utilizados de forma recorrente, ela tem o intuito de fidelizar clientes, que é fazer seus clientes continuem a usar os seus produtos ou serviços por um longo tempo.

Sendo assim, aumentar o lifetime-value, ou seja, o valor de tempo de vida do cliente.

Vender mais

Este objetivo é o principal de todas as empresas provavelmente. Afinal, quanto mais vender mais lucro terá e seu crescimento é garantido.

O marketing não tem como único propósito vender mais, mas grande parte das suas estratégias resultarão na conversão de clientes.

 

Tipos de métricas

Agora que você já sabe qual o objetivo da sua estratégia e o que deseja alcançar com ela, você pode decidir as métricas que vão acompanhar a campanha e poder avaliar se está realmente usando as métricas certas.

Principais métricas sociais

As métricas sociais são as métricas que vão acompanhar as redes sociais. As principais são:

  • Engajamento: é a soma de quem comenta, compartilha, curte ou clica nas suas postagem, ou seja, as interações com o pública. Porém, não coloque essa métrica como a principal, pois isso não significa que esse número irá virar em conversões para sua empresa.
  • Alcance: essa métrica mostra quantas pessoas estão recebendo seus conteúdos nas redes sociais, é determinado pelo número de seguidores da sua página.

Vale ressaltar que o número de seguidores não deve ser usado como métrica principal, pois o número de seguidores não quer dizer que todos estão realmente recebendo seus conteúdos.

  • Tráfego: o tráfego mostra quantas pessoas estão indo para o seu site ou blog através das redes sociais.
  • Conversão: essa é a “queridinha” de todos, mas a conversão não está ligada apenas quando um usuário vira um cliente, mas quando ele faz alguma ação almejada e planejada na estratégia de marketing.

Por exemplo, quando um seguir que viu algum conteúdo seu e clica no link que direciona para o seu blog ou site já é considerado uma conversão.

Pode estar ligados também a uma assinatura de newsletter, ligações, download de ebooks ou materiais, etc.

Essa métricas ajuda a identificar qual estratégia está trazendo mais resultados e com isso que você pode impulsionar. Afinal, quanto mais pessoas fizerem essas ações, mais público qualificado você terá e automaticamente as suas vendas aumentar.

Principais métricas de negócio

São nessas métricas que você deve gastar seu tempo analisando os resultados, já que seja qual for a sua campanha, ela vai estar ligada ao aumento do volume de vendas.

As principais são:

  • ROI (retorno sobre investimento): o ROI calcula o quanto você ganhou ou perdeu em cada investimento.

Por meio do ROI é possível identificar se é viável ou não continuar com a estratégia que foi criada ou precisará mudar algum ponto ou toda ela.

ROI = Return Over Investment.

  • CAC (Custo de Aquisição de Clientes): Essa métrica tem que ser acompanhada mês a mês, pois ela consegue informar o investimento médio para a conquista de cada cliente.

Vale mencionar que todos os valores devem ser incluídos na hora de fazer o cálculo, como salário, comissões e outros recursos, já que fazem parte do processo de conversão.

  • Bounce rate (taxa de rejeição): se refere ao número de pessoas que saíram do seu site na mesma página que entraram, ou seja, não navegou pelo seu site ou não teve interesse por outros materiais.

Todas as páginas tem uma taxa de rejeição individual, com isso fica mais fácil perceber quais são as que precisam de melhorias para alcançar o público.

Outras métricas que você pode considerar e vão te ajudar a medir o desempenho da sua estratégia são:

  • Leads por canal;
  • CPC (custo por clique);
  • Taxa de abertura de e-mail;
  • Entre outros que você pode considerar que seja importante;

O que são métricas de vaidade e como fugir delas

Agora que você sabe o que são as métricas, como você pode fazer para defini-las e se está usando as certas para a sua estratégia, vamos falar um pouco sobre as métricas de vaidade.

Métricas de vaidade são aquelas que encantam, que mostram números altos mas que na verdade se leva-las em consideração pode trazer um resultado errado.

Por exemplo, números de seguidores no Instagram, curtidas no Facebook, visualizações no Youtube ou volume de pageviews, um número elevado dessas ações podem inflamar o ego da equipe de marketing, mas na verdade é preciso saber o quanto isso está contribuindo nas vendas.

Imagine que sua página no facebook tem mais de 10.000 curtidas, esse número pode ser grande, mas não quer dizer que todas essas pessoas viraram clientes da sua empresa.

Com isso, tome cuidado com esse tipo de métrica, pois você pode achar que sua estratégia está sendo um sucesso mas na verdade não está trazendo o número de leads que precisa e suas vendas não aumentaram.

Não fique apenas nesse conteúdo, pesquisa mais sobre esse assunto e mão na massa!

6 motivos para investir em um negócio tecnológico

Não há nada pior do que se sentir ultrapassado, não é mesmo? Inclusive, apesar de ser ruim para as pessoas, essa também é uma realidade de muitas empresas.

Afinal, com os desenvolvimentos tecnológicos, transformação digital e mudanças no comportamento dos consumidores, as empresas tiveram que transformar as suas estratégias para se adaptar à nova realidade. Ou seja, são mudanças inegáveis.

Por essa razão, os negócios que tem por objetivo se destacar no mercado e se desenvolver não devem deixar de investir na tecnologia e automatização em seus processos.

Hoje em dia, com a tecnologia, uma empresa de compressor de parafuso pode desfrutar dos benefícios dos smartphones, se conectar em sistemas de nuvem, estar presente em toda web e interagir entre os usuários e outras marcas.

Além disso, ela também pode ser aplicada para fazer novos negócios, gerenciar equipes e lidar com os dados.

E você, o que está esperando para investir em tecnologia? Se você possui dúvidas se vale a pena ou não este investimento, então neste post nós trouxemos os maiores motivos para ter um negócio tecnológico. Continue nos acompanhando! Vamos lá?

 

1 – Agilidade nos processos

Sem dúvidas, uma das maiores vantagens da tecnologia é maior agilidade nos processos das organizações. Foi-se o dia em que tudo era feito de maneira manual.

Felizmente, o desenvolvimento tecnológico possibilitou que as tarefas realizadas em uma empresa possam consumir menos tempo, mão de obra e dinheiro.

Ou seja, com a tecnologia, muitas atividades podem ser feitas mais rapidamente, seja por meio de softwares simplificados, aplicativos e ferramentas avançadas, ou até mesmo com máquinas automatizada.

Como resultado, é possível realizar algo em poucos minutos, algo que uma equipe demoraria horas ou dias para fazer.

 

2 – A tecnologia melhora a velocidade em todos os setores

Além disso, a tecnologia pode proporcionar diversos benefícios e vantagens para todos os setores. Isso mesmo!

Ela é extremamente relevante para todos os segmentos, em especial as indústrias, como as que fabricam etiqueta de segurança, entre outros segmentos operacionais, uma vez que os processos costumam ser mais complexos e burocráticos.

Até mesmo os serviços de assistência médica podem ser melhorados com a velocidade de atendimento ao paciente, por exemplo.

 

3 – Aumento da eficiência

O investimento em um negócio tecnológico também pode aumentar de forma expressiva a eficiência dos seus processos.

Isso significa que os avanços tecnológicos possibilitam reduzir erros e retrabalhos, e assim, reduzir também os custos da empresa.

Um grande exemplo são os sistemas de emissão de notas fiscais. Ao contrário da emissão manual, onde as chances de cometer erros são maiores, os sistemas realiza cálculos mais eficientes, porque todos os dados digitados são automaticamente arquivados.

Além disso, em uma indústria que fornece produtos como ventilador umidificador industrial, por exemplo, a tecnologia também reduz o retrabalho nas linhas de produção.

Como resultado, é possível ter materiais sem defeitos e garantir uma entrega eficiente até o cliente.

 

4 – Redução de custos

Ao contrário do que muitos empreendedores imagina, investir em um negócio tecnológico nunca será “caro demais” para a sua empresa. Basta olharmos para a longo prazo, e se torna evidente que você estará economizando muito mais ao ter processos otimizados e precisos.

Sendo assim, a tecnologia reduz os custos operacionais e gerenciais de uma empresa. É o caso de empresas que utilizam Chatbots para atender as ligações de clientes em busca de algum meio de suporte técnico inicial, por exemplo.

Assim, a empresa reduz o tempo dos colaboradores com a prestação de atendimento, fazendo com que os profissionais se dediquem em outras atividades do negócio.

 

5 – Melhor interação com os clientes

Mais um motivo para investir em um negócio tecnológico é que, a partir da mudança de tecnologia, você também consegue ter uma melhor interação e relacionamento com os seus clientes.

Voltando ao exemplo do Chatbot, por exemplo, que utiliza a inteligência artificial, um usuário pode utilizar esse tipo de sistema para reduzir o seu tempo e ter respostas mais rápidas e otimizados.

Além disso, a tecnologia também pode ser utilizada para fazer com que a empresa esteja presente e integrada em variados canais de comunicação, como redes sociais, aplicativos de mensagens instantâneas, fóruns, blogs, Chatbots, entre outras diversas plataformas.

Ou seja, para os clientes, fica muito mais fácil entrar em contato com a empresa e ter uma experiência positiva e satisfatória!

 

6 – Vantagem competitiva

Por fim, a tecnologia também pode ser uma das maiores vantagens competitivas, fazendo com que uma empresa se destaque em meio a concorrência!

Especialmente em setores mais competitivos, a tecnologia acabou se tornando uma questão de prioridade para se sobressair e alcançar mais clientes.

Agora que você já sabe quais são os principais motivos para investir em um negócio tecnológico, o que está esperando para adotar essa tendência e ter sucesso? Gostou do nosso conteúdo? Conta pra gente!

Entenda a importância de ter um site com conteúdo para o seu negócio

Como as estratégias de Marketing Digital podem auxiliar o seu negócio a se sobressair em meio a concorrência e fidelizar cada vez mais clientes

Dentro do empreendedorismo, o desafio de todas as empresas é conquistar um espaço no mercado e se sobressair diante concorrentes. Visto que hoje em dia o mundo é dominado pela Era Digital, aqueles que não se adaptam à tecnologia e a velocidade como as informações surgem, vão ficando para trás. 

Para que isso não aconteça, a adaptação em meio ao mercado, de acordo com a forma volátil que as coisas mudam é essencial para você e para o seu negócio. 

Antigamente, a forma mais corriqueira de se conseguir indicações de produtos e serviços era através do boca a boca. Uma amiga, familiar ou conhecido indicavam uma empresa de acordo com as suas necessidades. Hoje, a maioria das pessoas opta por fazer buscas pela web para assim, encontrar as melhores soluções diante o que procuram. 

Tendo isso em mente, as empresas que não integram o ambiente digital acabam ficando para trás e consecutivamente, fechando as portas. 

É necessário saber que dentro da web, existem diversas estratégias para trazer credibilidade, visibilidade e confiança dos usuários com os seus serviços. Seguindo-as, o processo de captação de clientes e faturamento se torna mais fácil a longo e médio prazo. 

Mas afinal, que estratégias são essas? Continue lendo este conteúdo para entender melhor! 

 

Marketing Digital

O Marketing Digital se denomina pelo conjunto de estratégias online que tem como principal objetivo atrair e fidelizar clientes, gerir relacionamentos, criar uma identidade de marca ou negócio, propagar visibilidade e gerar credibilidade na web. 

Dentre as principais estratégias de Marketing Digital se encontram o Marketing de Conteúdo e o SEO. Essas ferramentas, colocadas lado a lado, junto a um planejamento estratégico e financeiro podem garantir o sucesso de uma empresa ou negócio. 

 

SEO

Dentro de uma estratégia de Marketing deve ser levado em consideração que os resultados partem de um conjunto de ações que, quando praticadas lado a lado, aumentam cada vez mais a chance de otimização de resultados. 

O SEO (Search Engine Optimization) têm como objetivo melhorar os resultados de um domínio no ranqueamento dos mecanismos de busca, ou seja, o Google. 

Dados do próprio Google apontam que 75% dos usuários que fazem pesquisas não passam da primeira página. Dessa forma, ter um bom posicionamento te garante um maior número de acessos e, consecutivamente, as chances de conversão de potenciais clientes em leads, aumentam. 

Porém, deve-se ter em mente que um bom posicionamento é só uma das etapas para a atração e fidelização de usuários. Como dito, as estratégias precisam caminhar lado a lado para assim, trazerem os resultados desejados. 

Uma das ferramentas principais para se conquistar bons posicionamentos nos motores de busca é através das palavras-chave, também conhecidas como keywords. As palavras-chave são os termos que os seus clientes em potencial irão usar para fazer uma pesquisa no Google a respeito do assunto em questão. 

As keywords são os termos que os usuários irão utilizar ao fazer uma pesquisa nos campos de busca. Por exemplo: Um internauta está pesquisando sobre preços e opções de planos odontológicos empresariais e utiliza a palavra-chave “plano odontológico empresarial preços”. 

Se um domínio que têm autoridade neste tópico conter com essa keyword em algum conteúdo, a visualização dele ficará mais fácil para o usuário em questão, facilitando o tráfego do mesmo para o site/blog. 

 

Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é a estratégia de gerar e produzir conteúdos para a sua persona, de maneira que esse processo auxilie na atração e captação de leads de maneira natural. 

O conteúdo aproxima o público-alvo ao seu negócio, pois entrega as informações que eles buscam até chegar ao momento de decisão da compra.

Os principais benefícios que o Marketing de Conteúdo darão ao seu negócio são:

  • Gera tráfego ao seu site;
  • Captação de leads;
  • Aumento de vendas;
  • Fidelização de clientes;

Para ter as principais vantagens dessa estratégia, invista em:

 

Blogs

Quando falamos de captação de clientes, os blogs são ferramentas fundamentais. Isso se dá porque além de auxiliarem no posicionamento da empresa nos mecanismos de busca, melhoram a relação empresa/cliente, trazendo credibilidade e autoridade no assunto, de maneira que os conteúdos sanem as dúvidas dos usuários. 

Uma boa dica é investir na definição das palavras-chave dentro desses conteúdos. Isso auxilia no ranqueamento da sua página nos motores de busca. 

Mas, deve-se ter em mente que todas as palavras-chave utilizadas devem ter relação com o tema do conteúdo em questão, além de trazerem tópicos relevantes e consistentes que ajudem a pesquisa do usuário.

Inbound Marketing

Também conhecido como Marketing de Atração, o Inbound Marketing é uma das estratégias de Marketing Digital que possui como principal finalidade a atração e fidelização de clientes. 

Normalmente, a estratégia se divide em quatro etapas: atração; conversão; fechamento e fidelização. 

Para entender o funcionamento da estratégia, deve-se partir do princípio de que, não é necessário atingir um grupo elevado de internautas mas sim, os usuários certos. Ou seja, aqueles que estão interessados no tipo de produto/serviço que você oferece. 

Por isso, é importante compreender os comportamentos, gostos e vontades dos consumidores e assim, é possível se montar uma estratégia segmentada, a fim de atrair clientes em potencial. 

Como citado acima, quando uma pessoa precisa de indicação de algum serviço em específico, o primeiro lugar que ela vai procurar por essa informação é a internet, não é mesmo? 

Através da estratégia, é possível conectar o problema/necessidade do usuário com a solução ofertada pelo conteúdo de uma empresa em questão. 

 

Jornada do Inbound Marketing

Lembra quando citamos sobre as quatro etapas da estratégia de Inbound? Agora você vai entender mais a fundo um pouco sobre elas. Essas etapas são atribuídas a uma estratégia conhecida como Funil de Vendas. 

É ela que irá definir qual o trajeto que o usuário irá percorrer no site e quais as táticas que serão utilizadas para convencê-lo a fechar um negócio com a sua empresa. 

Esse ponto é importante para que as estratégias de marketing sejam eficientes. É ela que irá conduzir todas as criações, direções das técnicas que serão aplicadas e os canais que serão usados.

O Funil é dividido em três camadas e cada uma corresponde a um momento de decisão do usuário até sua fidelização final. Veja: 

Topo do funil: Essa etapa possui um elevado número de usuários porém, uma baixa taxa de conversão. Isso porque neste momento, o cliente em potencial possui uma dúvida, mas ainda não entende qual é a solução necessária. 

Os conteúdos do site em questão devem ser projetados de maneira que sejam educativos e informativos. E assim, esclarecendo as dúvidas daquele internauta. 

Por exemplo: Seu domínio é especializado em vendas de um convênio odontológico empresarial. Para tornar o site atrativo aos seus potenciais clientes, é possível trabalhar um conteúdo sobre “A importância de convênios odontológicos empresariais para funcionários”. 

Meio do funil: Nesta etapa do funil, o usuário em questão já começou a avaliar suas opções e entende suas necessidades. Utilizando o exemplo citado acima, ele percebe a importância do plano odontológico empresarial e começa a avaliar suas opções. 

Fundo do funil: Esta é a última etapa antes que o potencial cliente se converta em lead para o seu negócio. Essa camada possui um número pequeno de tráfego, entretanto, contém o número mais elevado de conversões.  

Isso por que aqueles que chegaram até essa fase realmente possuem interesse em fechar com o seu negócio. Nesse momento, é hora de falar sobre seus benefícios, apresentar depoimentos de antigos compradores e fazer comparativos. 

Assim, você garante ao público sua autoridade no assunto e isso faz com que se sintam confortáveis para fechar negócios com a sua empresa. 

 

Redes sociais

As redes sociais são canais que podem ser grandes agentes na captação de clientes.

O espaço é ótimo para criar um laço de relacionamento com os seguidores, de forma que o conteúdo seja atrativo e faça com que o usuário tenha vontade e curiosidade de acessar o seu domínio e conhecer ainda mais sobre o negócio em questão. 

Por exemplo: uma clínica odontológica pode utilizar o espaço para sanar pequenas dúvidas de procedimentos dos usuários através dos stories ou, fazer alguns posts sobre saúde bucal, imagens de antes e depois de tratamentos, curiosidades, entre outros. 

Dessa forma, você se aproxima do seu público-alvo, o engaja com seus conteúdos, entrega informação útil, além de aproximá-lo do momento de compra e conversão. 

 

Conclusão

Neste artigo foi possível compreender a importância da adaptação em meio ao mundo tecnológico para conseguir manter um negócio estável e, como as estratégias de Marketing Digital, quando colocadas lado a lado, podem ser fortes aliadas na hora de se sobressair em meio a concorrência do mercado. 

Tenha em mente que conteúdos ricos em informação sempre serão atrativos aos olhos dos usuários, sejam eles por meio de blogs ou redes sociais. 

Ao mesmo tempo que investir em estratégias de conteúdo, contar com boas técnicas de SEO e um planejamento estratégico são essenciais. 

Seguindo essas recomendações, a médio e longo prazo é possível alcançar grandes resultados e um ótimo faturamento! 

Marketing para delivery de comida: saiba como aumentar as vendas

Atualmente, dominar o marketing para delivery de comida é muito importante para os restaurantes. Afinal, essa é uma das suas principais fontes de renda no momento e com perspectiva de ser cada vez mais importante.

Para se ter uma ideia, o consumo em aplicativos de delivery dobrou no primeiro semestre de 2020. Isso porque a pandemia do novo coronavírus colocou as pessoas em casa de quarentena, sem poder ir a restaurantes.

Agora, com a população mais acostumada a usar os apps, é provável que o delivery mantenha a sua força no mercado nacional.

Por isso, as empresas do setor terão de aprender como usar o marketing para delivery de comida, de modo a conseguir os melhores resultados possíveis.

Quer ver algumas dicas que vão ajudar a vender mais nos apps? Então siga a leitura abaixo!

 

Marketing para delivery de comida: 3 dicas que vão ajudar a aumentar as vendas

1. Entenda como funcionam os algoritmos dos apps

O Marketing Digital, especialmente o Marketing de Conteúdo, é muito dependente dos algoritmos do Google. Afinal, com mais de 100 bilhões de pesquisas mensais, o buscador é o maior direcionador de tráfego na Internet.

Nos aplicativos de delivery, seu restaurante é apenas indiretamente afetado pelo algoritmo do Google. No entanto, existe outro algoritmo a se preocupar: o do aplicativo de entrega.

Ao montar a sua estratégia de marketing, é essencial ter em mente como o aplicativo funciona para poder montar a sua ação de acordo com isso. Por exemplo, suponha que você queira vender bebidas delivery em Rappi. Como o app favorece esse tipo de item? De que modo ele escolhe quais são os que aparecerão em primeiro ou em segundo lugar? Ao responder essas perguntas, você poderá traçar as estratégias para se destacar por lá.

Normalmente, os aplicativos de delivery favorecem duas grandes métricas dos restaurantes. São elas:

  • tempo de preparo;
  • avaliações dos usuários.

Essas métricas são escolhidas pois favorecem os principais elementos para os usuários: a qualidade da comida e o tempo que leva para receber o prato.

Dessa forma, você poderá usar esse conhecimento a seu favor para garantir um bom posicionamento no aplicativo. 

 

2. Use boas imagens originais para chamar atenção dos usuários

Nos aplicativos de delivery, você concorre contra diversas lojas e restaurantes do mesmo segmento que você. Todos eles têm produtos de muita qualidade e bom preço.

Por isso, é importante ter ferramentas para chamar a atenção do seu público enquanto ele analisa as opções disponíveis na página de busca. Isso pode ser feito com o uso de boas imagens originais.

Quando for tirar as fotos para o aplicativo, escolha os melhores pratos possíveis e capriche bastante na iluminação. Além disso, use tons de cores e outros elementos que sejam diferentes dos usados pelos seus concorrentes. Isso irá destacar o seu prato na lista do app e garantir que você terá mais acessos.

É claro que, atualmente, é possível usar um celular para tirar as próprias fotos. Por exemplo, existem modelos de smartphones com câmeras de 192 megapixels. Claro que esse é um exemplo exagerado, mas é possível encontrar uma boa alternativa.

No entanto, um fotógrafo especializado em fotografia culinária e publicitária pode gerar resultados melhores para você. Se ele for informado sobre a necessidade de criar uma distinção da imagem daquelas usadas pelos concorrentes, então ele poderá trabalhar com cores específicas e montar um visual realmente bonito e que cause um impacto positivo no cliente. 

 

3. Direcione tráfego das redes sociais para os aplicativos

As redes sociais são grandes fontes de tráfego para os aplicativos de delivery. Elas funcionam especialmente por causa de três motivos.

O primeiro delas é que as redes são muito eficazes para despertar desejo nos usuários. Afinal, redes como o Instagram são altamente visuais e funcionam muito bem como elementos ativadores de vontades.

Por exemplo, imagine que é hora do almoço e o seu restaurante posta um prato absolutamente maravilhoso. Isso desperta o desejo no seguidor, que terá vontade de pedir no delivery, caso tenha o link disponível.

Sendo assim é importante ficar atento ao melhor horário para publicar nas redes sociais. Leia neste artigo mais sobre como definir o horário ideal para cada rede social.

E por falar nisso, vale lembrar que as redes sociais são excelentes propagadoras de links. Algumas dificultam um pouco, como o Instagram, mas é possível colocar um link na bio por lá.

Além disso, em redes como o Facebook, é possível fazer anúncios com links embutidos. Na prática, você pode criar um link no WhatsApp ou da sua loja no aplicativo e promover um anúncio para o seguidor clicar e ir direto para a página de pedido.

Com isso, fica muito mais fácil promover o seu restaurante nos aplicativos de delivery, uma vez que remove as barreiras para que os usuários façam os pedidos.

Esses são os 3 principais pilares do marketing para delivery de comida. Ter uma boa estratégia para eles é essencial para conseguir bons pedidos e manter um fluxo estável de faturamento.

E aí, gostou das dicas? Comente abaixo com a sua opinião sobre elas!

Marketing para dentistas: fazer por conta própria ou contratar uma agência?

A internet possibilitou que muitas pessoas e negócios passassem a fazer sua própria divulgação, mas será que é vantajoso? Descubra a seguir!

Para que um negócio dê certo é preciso fazer com que ele seja visto e que seu serviço ou produto coloque um brilho nos olhos de possíveis clientes. Isso acontece desde que o mundo é mundo, principalmente em tempos em que cada vez mais negócios estão sendo abertos e divulgados nos meios digitais.

A internet deu a oportunidade para muitas pessoas abrirem seus negócios digitais e para muitos outros se divulgarem e divulgarem seus serviços de forma fácil e eficaz. Graças aos meios digitais o marketing ficou mais democrático e acessível para um número maior de pessoas, incluindo dentistas.

Por outro lado, essa facilidade fez com que muitos começassem a achar que o trabalho de marketing é fácil e pode ser feito apenas com a criação de redes sociais e posts bonitos, mas será que esse é um trabalho realmente simples?

 

O que faz um profissional do marketing

Antes de tudo é preciso entender o que um profissional de marketing faz. É ele quem vai traçar estratégias para fazer produtos e serviços parecerem mais atraentes diante dos clientes.

Sim, para vender um produto ou serviço é preciso ter uma estratégia em mente, o marketing não se trata de postar fotos e conteúdos aleatórios na internet dizendo o quanto o clareamento dentario feito no seu consultório é bom, por exemplo.

Para que você realmente consiga vender esse tratamento e chamar a atenção para o seu trabalho é preciso saber exatamente quem são os seus clientes potenciais e como falar com eles. É como se o profissional de marketing soubesse quem são seus futuros pacientes antes que eles cheguem ao seu consultório.

Isso não é feito por meio de uma bola de cristal ou achismos, mas sim por meio do levantamento de dados sobre o seu negócio, dos seus pacientes e do nicho em que você trabalha, no caso a odontologia, além de técnicas específicas do marketing.

 

Marketing na internet

Como dito anteriormente, hoje em dia graças a internet, divulgar o seu trabalho se tornou muito mais fácil e acessível. No entanto, a internet não eliminou a concorrência, muito pelo contrário, são muitas pessoas oferecendo as mesmas coisas nos mesmo lugares.

Sendo assim, é muito importante que você se destaque dos demais, para isso algumas coisas são primordiais: saber com que você está falando, saber a melhor forma de se comunicar com ela e dar exatamente aquilo de que ela procura.

Parece fácil, não é mesmo? Mas não é tão simples assim, já que para fazer tudo isso de forma assertiva é preciso utilizar algumas técnicas próprias do marketing digital. Por exemplo: Ao contrário de como acontecia antigamente, uma pessoa que não tem um dentista de confiança dificilmente irá passar por um procedimento odontológico sem antes pesquisar preços e como esse procedimento é feito na internet.

Acontece que, como já dito, existem milhares de pessoas falando sobre e vendendo o tal procedimento na internet. Por isso, você precisará garantir que seu site ou redes sociais sejam a primeira coisa que o possível futuro paciente veja ao buscar implante dentario preco, por exemplo, no Google.

 

Sabe como você pode fazer isso? Com técnicas de SEO!

SEO é a sigla do termo em inglês Search Engine Optimization (otimização para mecanismos de busca). Basicamente, é um conjunto de estratégias que ajudam o seu site a aparecer na primeira página do Google, ganhando mais vistas e, assim, captando novos pacientes.

Entre as estratégias de SEO estão:

 

  • Uso de palavras-chave: Identificar os termos procurados pelo seu público sobre determinado assunto e incluí-los nos conteúdos produzidos por você fará com que eles sejam encontrados mais facilmente.

  • URL: Por falar em palavras chaves, os endereços do seu site precisam dizer qual é o assunto das páginas em que o usuário está. Nada de www.dentista.com.br/r5G0823, se o seu conteúdo fala sobre cáries em adultos o URL deve ser www.dentista.com.br/caries-em-adultos.

  • Meta description: É aquele resuminho que aparece junto com cada link nos resultados de busca no Google. Ele precisa ser atraente para que o seu link seja o clicado.

 

Essas são apenas algumas coisas que envolvem uma estratégia de SEO. Outro ponto que é importante no marketing da sua empresa é a dedicação às redes sociais.

Para que elas deem certo e atraiam novos pacientes é preciso que elas sejam atualizadas constantemente, pelo menos duas vezes por semana. Será necessário um calendário de postagens não só com fotos bonitas, mas também conteúdos informativos. A identidade visual também precisa estar em dia para que sua rede social fique organizada e visualmente agradável.

 

As agências de marketing

A essa altura você deve estar se perguntando: “Mas eu não sei nada disso, eu sou dentista!”. Você pode não saber, mas um profissional de marketing sabe, afinal de contas esse é o trabalho e a especialidade dele.

Foi-se o tempo em que o marketing era feito por agências de marketing enormes que falavam sobre outras empresas enormes, hoje existem agências dedicadas a divulgar empresas pequenas e médias e profissionais autônomos também.

Eles cuidarão para que o seu consultório seja visto não só na internet, mas também por meio de estratégias mais tradicionais.

 

Vantagens

Dentre as vantagens de se contratar uma agência de marketing estão:

Equipe especializada e multidisciplinar: Ao contratar uma agência de marketing você terá em um só lugar profissionais especializados em diversas áreas do marketing como criação de conteúdo, design, estratégias de divulgação, mídias pagas, entre outras;

Custo-benefício: Contratar o trabalho de um agência de marketing pode sair mais barato do que contratar um único profissional para fazer toda a parte de divulgação do seu consultório e também menos burocrático. Além disso, como dito anteriormente, você estará contando com o trabalho de diversos especialistas de uma só vez.

Bom, contratar uma agência de marketing é muito mais barato e vantajoso do que você pensava, não é? É claro que você pode fazer o marketing do seu consultório por conta própria, mas lembre-se que para se divulgar e promover o seu trabalho é preciso muito estudo e dedicação. Essas são as chaves para o sucesso.

Necessita de uma ajuda? Conte conosco.

4 dicas para melhorar a imagem da sua empresa

A internet é uma vitrine para a sua empresa e tem o poder de torná-la mais ou menos relevante para o seu segmento. Quer saber como ter uma boa imagem no mercado? Descubra agora!

Antigamente as marcas só eram vistas pelo seu público se investissem milhões de reais em anúncios na televisão, revistas, outdoors e por aí vai.

Fato é que ter o nome da empresa sendo visto na TV ou ouvido no rádio era uma maneira extremamente eficiente de consolidar a imagem da marca no mercado, mas hoje isso mudou.

Pense, por que dirigir-se à massa se é possível comunicar àqueles que têm o perfil de cliente e ideal, ou seja, pessoas que possuem interesse em seu serviço ou produto?

Essa é uma das maneiras mais eficientes de ter uma boa imagem no mercado: investir na internet. Quer saber como, por que e quais são suas vantagens? Continue lendo este conteúdo e descubra!

 

Por que a internet é importante para sua empresa

De acordo com esta famosa pesquisa, o Brasil conta com cerca de 134 milhões de usuários de internet, as pessoas também passam longos períodos on-line a fim de buscar informações sobre empresas e claro, consumir.

Em palavras mais diretas, se a sua empresa tiver uma presença digital forte, é provável que o público a veja com bons olhos e consuma seus produtos e/ou serviços.

Para ilustrar o que foi dito acima, pense em uma empresa que comercializa plano de saúde odontológico, um mercado absolutamente concorrido.

O potencial cliente dessa empresa não tem interesse apenas em saber sobre cobertura, carência e onde encontrar o serviço. Ele busca por informações úteis que lhe deem propriedade para encontrar o que deseja (mesmo que ele ainda não saiba).

No caso, essa empresa pode captar clientes de maneira totalmente online sem realizar uma prospecção direta, apenas entregando conteúdos e demais informações que gerem autoridade, visibilidade e consolidem a marca no mercado.

Assim, é natural que esse cliente chegue à decisão de contratar um plano odonto de acordo com sua necessidade e informações adquiridas ao longo de sua jornada de compra.

Para isso, desenvolva estratégias para fortalecer a imagem da sua empresa. Algumas delas são:

 

Crie uma persona

A persona é a representação fictícia do cliente ideal de um negócio. 

Ela é baseada em dados sobre o perfil desse tal cliente, o que envolve: comportamento, hábitos de compra, estilo de vida, características demográficas e também pessoais, necessidades, motivações, objetivos, desafios e dores.

Ter essas informações serão a base para criar estratégias e ações que sejam assertivas em relação ao cliente que se deseja captar ou fidelizar.

Para criar uma persona que traga os resultados esperados, realize entrevistas com os clientes que já compram com a sua empresa e descubra as características que eles têm em comum. 

Colha informações como:

  • Nome;
  • Faixa etária;
  • Profissão;
  • Hobbies;
  • Hábitos;
  • É casado?;
  • Tem filhos?;
  • Como/onde  se comunica;
  • Poder aquisitivo;
  • Desejos;
  • Necessidades
  • Dores;
  • Objetivos.

Toda estratégia digital deve ter uma persona definida como base e quanto mais rica em detalhes e informações ela for, maiores são as chances das ações da sua empresa serem efetivas.

 

Use as redes sociais

As redes sociais são usadas por milhares de usuários diariamente e são excelentes plataformas para criar conteúdos, disseminar informações e ainda se comunicar diretamente com a persona.

A rede social a ser utilizada e qual mais trará resultado depende de uma série de fatores, inclusive onde sua persona está presente e buscando por informações (como e onde se comunica).

Entretanto, embora o segmento dite o melhor canal, as principais utilizadas e com maior alcance atualmente são: Facebook, Youtube e Instagram.

Por exemplo, aquela empresa de convênio odontológico individual pode investir em redes sociais mais visuais como o Instagram e até o Pinterest a fim de criar conteúdos que mostrem os resultados dos clientes/pacientes.

Porém, tudo depende da persona. Essa é a importância de estudar o seu cliente ideal com afinco.

 

Alimente um blog

Blogs existem com o intuito de gerar conteúdos educativos aos usuários do site e clientes da empresa.

Esse conteúdos educativos e informativos costumam envolver o segmento da empresa que aquela empresa atua e pode conter dicas, curiosidades, tutoriais, dentre outros, tudo depende do que aquela persona procura e necessita.

Se ela busca por determinado termo específico, o ideal é gerar um conteúdo de blog que foque em tirar dúvidas sobre o assunto.

O grande benefício do blog é que ele gera autoridade à empresa, já que passa a abordar um assunto de forma específica.

Leia mais: Como montar um planejamento de conteúdo para blog?

 

SEO

SEO significa Search Engine Optimization/Otimização de Mecanismo de Busca

A metodologia SEO aplica técnicas de otimização em sites para que eles fiquem bem ranqueados em buscadores como Google.

Para as empresas, a metodologia SEO dá mais visibilidade aos produtos e serviços por meio dos buscadores e assim a imagem da marca é fortalecida e o natural é que as vendas cresçam de acordo com o tráfego do site.

Aqui, novamente a persona é fundamental, pois para o SEO ser eficiente é preciso conhecer bem sua intenção de busca, já que todo o conteúdo gerado será de acordo com os temos de busca.

Leia mais: Como aumentar as visitas de um site? Aplique as técnicas de SEO!

 

A internet pode mudar a realidade da sua empresa

Apesar dos exemplos com a empresa de plano de saúde dentário, toda empresa deve investir na internet a fim de se comunicar com seu público, divulgar seus produtos e serviços e melhorar sua imagem a partir disso.

Hoje a internet tem papel fundamental na jornada de compra do consumidor, sendo o principal canal onde se busca informação para chegar até o momento de decisão e fechar negócio.

Por isso, neste conteúdo você conferiu algumas dicas para melhorar a imagem da sua empresa no mercado por meio do desenvolvimento de uma persona, redes sociais, blog e a metodologia SEO.